Casos de um viajante – Mímica na Romênia

Os destinos que mais “impressionam” as pessoas, são aqueles que não falam inglês nem espanhol, tendo principalmente uma língua distante da nossa, como é o caso da Romênia e outros países do Leste Europeu… Em muitas das minhas viagens – em especial para o Japão – as pessoas me perguntam: “nossa, mas como você se comunicava lá? As pessoas falam inglês?”… A resposta muitas vezes é não e no caso da Romênia, o NÃO é maiúsculo, e que o único jeito é a mímica, e as vezes tentar falar palavras soltas em inglês.

No segundo dia no país, decidi viajar para conhecer os castelos de Bran (do Drácula) e de Peles. Aluguei um carro e rumei ao norte de Bucaresti para estes destinos mais que pitorescos e interessantes.

Castelo de Bran (do Drácula), Romênia
Castelo de Bran (do Drácula), Romênia

Quase no local, parei em um restaurante/ hotel na beira da estrada… muito arrumadinho por sinal, porém só a dona (mau humoraaaaaaaaaada) falava inglês. A garçonete que me atendia, acho que nem romeno falava direito hehe… Bom, por sorte o cardápio tinha fotinhos que ajudavam no entendimento, mas não resolviam… Levantei o dedinho e lá veio a garçonete, apontei para o cardápio e perguntei:

– Cow meat?

Ela olhou e não esboçou reação…

– Cow?

Ainda sem reação…

– Muuuuuuuuuuuhhhhhhh?

Aí a cara de transformou-se, abriu um sorriso e balançou a cabeça em sinal de não e disse:

– Mééééééé!

Ambos com um sorriso no rosto, achando graça da situação, seguimos a vida. Entendi então que era carne de caneiro e confirmei o pedindo. =o)

Enquanto esperava o prato vi que o pneu do carro estava murcho, e portanto, precisaria de um posto de gasolina para encher ou trocar dito cujo.

Sem paciência para esperar a mal educada da dona, resolvi que perguntaria também para a garçonete, com a qual já tinha definido um idioma específico para garantir nosso contato!

Carrinho que me acompanhou até o castelo de Bran, Romênia
Carrinho que me acompanhou até o castelo de Bran, Romênia

Então, levantei-me e fui até o carro e fiz como se estivesse colocando gasolina e depois apontei para o relógio.

Ela abriu a mão mostrando cinco minutos e apontou para a direita!

Maravilha! Agradeci e parti!

Chegando no posto de gasolina, tinha para mim que idiomas falados não resolveriam nosso problema de comunicação, de qualquer forma, ao entrar no posto, perguntei “Do you speak English?”. Minha convicção se confirmou, ninguém respondeu e parti novamente para a mímica.

Fui até o pneu fiz: “psssssssssssssiiiiiii” – aquele som característico das bombas de ar. O frentista logo entendeu e me levou o local onde estava a bomba, calibrei o pneu e segui viagem feliz e tranquilo!

Moral da história: na falta de recursos, criam-se recursos! =o)

Paisagem nas estradas da Romênia 1
Paisagem nas estradas da Romênia

 

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *