Intercâmbio na Pandemia: Destinos, Vacinação e Quando Embarcar?

Muitos que estavam às vésperas de fazer um intercâmbio acabaram tendo que postergar a viagem por conta da pandemia de coronavírus. Aos poucos, surgiram as notícias dos países fazendo sua reabertura econômica, quando chega a temida “segunda onda”, seguida pelas notícias a respeito da vacinação em todo o globo. Tudo isso faz a gente se perguntar: mas quando de fato haverá a retomada do intercâmbio e turismo?

A data ainda não é clara por uma série de motivos relacionados à COVID-19, mas vamos ver quais países de intercâmbio estão mais próximos disso e por que. O fato é que as próximas semanas serão críticas para definir qual vai ser o calendário de vacinação em cada país de intercâmbio e quais serão as obrigatoriedades para os visitantes.

Por fim, analisar o Brasil, porque não adianta os países abrirem se as portas estiverem fechadas para países ainda com muitos infectados. Ao mesmo tempo, algumas pessoas embarcaram em 2020, mesmo considerando os riscos de saúde e, até mesmo, de deportação em alguns países. Se esta for a sua decisão, siga todo protocolos de segurança e aproveite muito a sua experiência!

Enfim, vamos nessa? 🙂

Como está o Intercâmbio para brasileiros na Pandemia nos principais destinos?

PaísStatusAberto p/ Brasileiros?
África do Sul– País vacinou cerca de 1% da população
– Desde janeiro tem apresentado uma queda no número de casos.
– Entrada no país mediante exame PCR negativo.
Sim
Austrália– Sem novas mortes e número de casos praticamente zerados.
– Cerca de 19% da população já foi vacinada.
– Ainda assim, as fronteiras devem permanecer fechadas em 2021.
Não
Irlanda– País vacionou cerca de 35% da população.
– Após uma segunda onda, tem menos mortes diárias e novos casos.
– Brasileiros que estão indo realizar um curso de higher education já podem entrar na Irlanda.
Sim, apenas para estudantes de higher education
Malta– País vacinou mais de 75% da população.
– Em março apresentou uma alta no número de infectados.
– Brasileiros podem entrar, desde que passem pelo menos 14 dias em quarentena em algum país do corredor seguro antes de entrar em Malta.
Sim, mediante quarentena
Nova Zelândia– País que melhor lidou com a pandemia, apenas 26 mortos.
– 10% da população foi vacinada.
– Fronteiras permanecem fechadas.
Não
Canadá– Mais de 65% da população já foi vacinada.
– Brasileiros com visto para estudos podem entrar mediante PCR negativo e quarentena obrigatória de 14 dias.
Sim, para estudantes
Estados Unidos– 51% da população já foi vacinada.
– Queda no número de mortos e infectados desde fevereiro/2021.
– Brasileiros que estão indo estudar nos EUA podem entrar. Para turismo, as fronteiras seguem fechadas.
Sim, para estudantes
Reino Unido– 60% da população já foi vacinada.
– Após uma segunda onda em janeiro21, o número de infectados voltou a diminuir.
– Fronteiras seguem fechadas para brasileiros.
Não
Dubai– 51% da população já foi vacinada.
– Apresenta uma nova alta dos casos desde janeiro/21.
– Brasileiros podem visitar o país desque de apresentem um PCR negativo.
Sim, mediante exame PCR
Portugal– 42% da população já recebeu pelo menos a primeira dose da vacina.
– Brasileiros só podem entrar se tiverem visto de estudos, apresentarem PCR negativo e cumprirem a quarentena obrigatória.
Sim, para estudantes
Argentina– Cerca de 27% da população já foi vacinada.
– Estão passando por uma nova onda e novos recordes de infecções e mortes.
Não
Chile– Quase 60% da população já foi vacinada.
– O país está passando por uma segunda onda, com recordes de casos desde o início da pandemia.
– Fronteiras fechadas devido ao novo lockdown.
Não
Espanha– 44% da população já foi vacinada.
– Fronteiras seguem fechadas para brasileiros.
Não
Situação da Covid-19 do Intercâmbio na Pandemia. 11-Junho-2021.

#1 – Reabertura da Nova Zelândia

Primeira-ministra Jacinda Ardern sorri durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira (8) — Foto Mark MitchellNew Zealand Herald via AP - Fonte G1
Primeira-ministra Jacinda Ardern sorri durante coletiva de imprensa — Foto Mark Mitchell New Zealand Herald via AP – Fonte G1

O país de intercâmbio mais próximo da abertura econômica é a Nova Zelândia. Segundo pesquisa realizada pela consultoria inglesa Brand Finance, a Nova Zelândia é o país que melhor lida com a pandemia de Covid-19.

No fim de janeiro, foram confirmados dois novos casos da variante sul-africana do coronavírus, apesar do rígido controle de fronteira. Esses dois novos casos puseram fim a mais de dois meses sem infecções comunitárias.

Ainda assim, o país fez um dos controles mais eficientes do mundo da pandemia, totalizando apenas 26 mortes até agora, e absolutamente nenhuma morte desde fevereiro/2021.

Sendo assim, provavelmente a Nova Zelândia será o primeiro país para a reabertura do intercâmbio 🙂

Mesmo sendo a região com melhor controle, só agora Austrália e Nova Zelândia estão abrindo fronteiras para países da região, ainda assim com restrições. Para brasileiros, as fronteiras permanecem fechadas.

Para a Nova Zelândia, não existiu segunda onda!

Aliás, todas as minhas reverências à Primeira-ministra Jacinda Ardern pela condução da crise.

Vacina na Nova Zelândia

A vacinação na Nova Zelândia começou apenas em março, um pouco mais tarde do que nos outros países.

Até o momento, foram imunizados 10% da população neozelandesa.

#2 – Pandemia na Austrália

Na Austrália, uma país grande, o relaxamento e reabertura tem sido diferente em cada um dos estados. As infecções por Covid-19 estão praticamente zeradas no país desde setembro/20 e, além disso, desde dezembro o país não apresenta nenhuma morte relacionada ao coronavírus.

Aparentemente, a Austrália conseguiu bom controle geral e a sua reabertura teve menos impactos do que outros lugares. Houve um pico, mas que em nada se compara com outros países e foi rapidamente controlado.

Ainda assim, as fronteiras australianas devem permanecer fechadas durante a maior parte de 2021. De acordo com o secretário do Ministério da Saúde da Austrália, não se sabe até que ponto a vacina irá impedir a transmissão do coronavírus.

Atualmente, as fronteiras da Austrália estão abertas apenas para residentes e cidadãos, seus familiares, diplomatas e outras exceções, como visitantes da Nova Zelândia. Quem chega também deve passar por um período de quarentena.

Imunização na Austrália

A vacinação na Austrália começou no final de fevereiro e, até o momento, já foram aplicadas mais de 5,5 milhões de doses, o que corresponde a cerca de 19% da população imunizada com pelo menos a primeira dose.

Covid na Austrália
Reabertura Intercâmbio – Casos de Covid na Austrália – 11-Junho-2021- Fonte-Wikipedia-Google

#3 – Intercâmbio e Covid na Irlanda

A Irlanda tem passado maus bocados desde o início da pandemia. Após uma segunda onda desastrosa, o país enfrentou novamente um grande aumento no número de casos e mortes em janeiro, que foi considerado o pior mês da pandemia de Covid-19 na Irlanda.

Desde janeiro, todavia, o número de casos na Irlanda tem diminuído bastante. Isso, juntamente com o esquema de vacinação no país, pode representar um bom sinal.

Podem entrar na Irlanda brasileiros que estejam indo realizar um curso de higher education, com necessidade de aplicação de visto. Para viagens não essenciais, há uma previsão de abertura para julho/21.

O país classificou as suas províncias (Counties) em 5 níveis, sendo o 1-Azul o mais livre e o 5-Vermelho o mais restritivo. Veja o mapa para saber qual County está em cada nível e entenda o que cada nível significa aqui.

Apesar de ainda haver restrições para o turismo, alguns brasileiros foram para a Irlanda em 2020 em meio à pandemia.

Vacinação contra Covid na Irlanda

A campanha de vacinação contra o coronavírus na Irlanda iniciou ainda na primeira semana de janeiro de 2021. As vacinas foram aplicadas em profissionais da saúde e funcionários e residentes de instituições de longa permanência.

Na Irlanda, estão sendo aplicadas as vacinas AstraZeneca, Moderna e Pfizer. Até o momento já foram aplicadas mais de 2,4 milhões de doses, correspondendo a cerca de 35% da população irlandesa.

Covid na Irlanda
Reabertura Intercâmbio – Casos de Covid na Irlanda – 11-Junho-2021- Fonte-Wikipedia-Google

#4 – Malta

O pequeno arquipélago agiu rápido quando os primeiros casos chegaram ao país. Visto ser uma ilha e ter uma população pequena, o fechamento das fronteiras foi “simples” e eficiente.

Economicamente, o país teve um dos maiores suportes para cidadãos e negócios. Por outro lado, Malta tem quase 1/4 da sua economia dependente do turismo e intercâmbio, o que pode atrasar a retomada geral do país.

Em março/21 o país presenciou um grande aumento no número de mortes e de novos casos, mas desde então esses índices têm caído bastante. Em maio/21 o número de novas infecções já estava praticamente zerado.

Brasileiros podem entrar no país, desde que passem pelo menos os 14 dias anteriores em um dos países do corredor seguro antes de chegarem a Malta.

Vacinas em Malta

A campanha de vacinação contra a Covid-19 em Malta começou já na primeira semana de janeiro de 2021, sendo um dos países pioneiros. Atualmente, o país tem um dos maiores alcances de vacinação de toda a Europa.

Até o momento, Malta conseguiu aplicar ao menos a primeira dose em mais de 75% da sua população, uma porcentagem realmente excelente.

#5 – Reino Unido

O Reino Unido, que é um dos principais destinos de intercâmbio, é também um dos que mais vem sofrendo com o coronavírus. Depois de negarem a importância da pandemia, se tornaram um dos países com maior número de infectados e mortos, tendo até seu primeiro ministro em apuros.

Em janeiro de 2021, o país teve uma grande alta no número de infectados, atingindo a triste marca de 100 mil mortes, sendo o primeiro país europeu a atingir esse número preocupante.

No entanto, o número de infectados tem diminuído consideravelmente desde então, com pouquíssimas mortes relacionadas ao Covid-19 durante todo o mês de maio. Possivelmente uma resposta positiva à campanha de vacinação que está ocorrendo no Reino Unido.

As fronteiras, entretanto, continuam fechadas para brasileiros.

Reino Unido, o pioneiro na imunização

Apesar de toda a preocupação e dificuldade que o Reino Unido está enfrentando com a nova onda e a nova variante do Covid-19, as vacinas são o ponto de esperança que anima a população.

Nesse sentido, o Reino Unido começou a imunização dia 8 de dezembro, sendo a primeira nação no mundo a fazê-lo. A imunização começou por grupos prioritários, como profissionais da saúde e idosos, e segue sendo aplicada nesses grupos. Até o momento, 60% da população britânica já foi imunizada.

#6 – Canadá, a Covid e Intercâmbio!

Após enfrentar um aumento no número de casos em abril/21, o Canadá aumentou as medidas de restrição para conter a terceira onda de Covid-19.

Brasileiros podem entrar no país, mas com várias regras: precisa ter visto de estudante, apresentar um exame PCR negativo realizado até 72 horas antes da partida e cumprir uma quarentena obrigatória de 14 dias.

O ponto positivo é que após a implementação dessas medidas, o Canadá tem experimento uma baixa no número de novos casos, o que pode significar uma flexibilização no futuro.

Uma iniciativa legal no Canadá foi a possibilidade de fazer cursos de Estudo e Trabalho à distância. Para cursos elegíveis ao PGWP (Visto para Recém Graduados), você pode começar o curso online e ter acesso ao visto de trabalho ao final do curso, não é excelente? 🙂

Ah… para fechar a conta, o Canadá anunciou a reabertura parcial dos consulados para alguns serviços em meados de dezembro. É um recomeço.

Vacinação de Covid no Canadá

O Canadá iniciou a campanha de vacinação contra a Covid-19 ainda na segunda semana de dezembro, priorizando idosos e profissionais da saúde. Essa foi a maior campanha de imunização da história do país, e vacina utilizada está sendo a da Pfizer/BioNTech.

Ainda, segundo o governo canadense, a expectativa é que todos que desejam a imunização sejam vacinados até setembro/2021. Até o momento, mais de 63% da população do Canadá já recebeu pelo menos a primeira dose.

Covid no Canadá
Reabertura Intercâmbio – Casos de Covid no Canadá – 11-Junho-2021- Fonte-Wikipedia-Google

#7 – Reabertura dos Estados Unidos

O país que mais resolveu ignorar o potencial destrutivo do coronavírus foi os EUA, o que fez com que ele se tornasse epicentro da pandemia e continuasse assim até hoje, totalizando quase 600 mil mortes.

A grande complicação dos Estados Unidos no enfrentamento à Covid (além da demora na ação e a inócua culpabilização da OMS, China e outros) é o fato da grandeza do país. Após uma nova alta no número de infectados em janeiro/21, os casos voltaram a diminuir a partir de fevereiro.

A falta de unidade sobre como tratar o tema vai postergando a volta à vida normal para todos e ainda mais para turistas e intercambistas que querem ir para os EUA.

Brasileiros que estudam nos Estados Unidos e atualmente se encontram no Brasil podem retornar para lá. Para turismo e afins, ainda não há previsão de abertura de fronteiras.

Vacinação Coronavírus nos EUA

A campanha de vacinação nos Estados Unidos iniciou no dia 14 de dezembro de 2020, com doses da vacina da Pfizer. De acordo com presidente Joe Biden, praticamente toda a população dos EUA seria vacinada até meados de setembro/2021.

Contudo, mesmo com a campanha de vacinação ocorrendo com a maior velocidade possível, os Estados Unidos levarão cerca de 300 dias para de fato vencer a Covid-19. Até o momento, 51% da população recebeu ao menos a primeira dose da vacina.

Covid nos EUA
Reabertura Intercâmbio – Casos de Covid nos EUA – 11-Junho-2021- Fonte-Wikipedia-Google

#8 – Espanha

A Espanha, junto à Itália, se tornaram nossos centros das atenções em março e abril de 2020. Com imagens comoventes do lockdown, ainda não imaginávamos que isso poderia chegar aqui com tanta força.

Em fevereiro/2021 o país passou por momentos difíceis, com o maior número de mortes diárias desde abril de 2020, e com a chegada na triste marca de 60 mil mortes por coronavírus.

Desde então, os números têm caído bastante e se mantendo estáveis durante todo o mês de abril e maio, possivelmente em resposta à campanha de vacinação corrente no país.

Recentemente, a Espanha anunciou que irá permitir a entrada de viajantes que já tenham sido vacinados contra a Covid-19. Contudo, o Brasil e a África do Sul ficaram de fora dessa liberação, a fim de evitar a transmissão de novas variantes.

Vacinação na Espanha

A campanha de vacinação na Espanha iniciou no fim dezembro, com doses da vacina Pfizer/BioNTech e Moderna. Os idosos e profissionais da saúde foram o grupo que estreou a imunização no país.

Até o momento, 44% da população espanhola já recebeu pelo menos a primeira dose da vacina.

#9 – Covid-19 na África do Sul

Recentemente, a África do Sul viveu momentos difíceis após a descoberta da nova variante do coronavírus, conhecida por ser mais contagiosa e resistente.

Após essas notícias ganharem o mundo, a maioria dos países fecharam as portas para viajantes vindos da África, inclusive o Brasil.

Após um grande aumento dos casos e número de mortes em janeiro/21, a África do Sul vem apresentando uma queda crescente nestes índices. Em junho/21, a média de mortes diárias no país estava em torno de 50 pessoas.

Ainda, em maio/21 o país lançou uma campanha de vacinação em massa, o que indica um avanço no combate à pandemia.

Apesar da melhora no número de casos, as restrições para viajantes internacionais continuam em todo o país. É possível entrar no país por 3 aeroportos que continuam abertos, mas é obrigatório apresentar um exame PCR negativo feito até 72 horas antes do vôo.

Imunização na África do Sul

Na África do Sul estão sendo aplicadas as vacinas da Johnson & Johnson, da Pfizer e da AstraZeneca. Até o momento (junho/21) foram aplicadas mais de 1,6 milhões de doses da vacina.

#10 – Dubai e o coronavírus

Nos Emirados Árabes Unidos, país onde se encontra Dubai, já houveram mais de 589 mil casos e 1710 mortes desde o início da pandemia.

O país apresentou uma nova alta no número de infectados desde janeiro/21, mas a esperança é que, com o progresso da vacinação no território, esses números possam voltem a diminuir.

Brasileiros podem entrar no país, desde que apresentem um PCR negativo até 96 horas antes do vôo e façam outro teste de PCR na chegada no aeroporto internacional de Dubai.

Vacinação em Dubai

Os Emirados Árabes Unidos oferecem atualmente as vacinas Sinopharm, Pfizer-BioNTech e Oxford-AstraZeneca.

Até o momento, mais de 51% da população já recebeu pelo menos a primeira dose em Dubai.

#11 – Portugal

Primeiramente, é possível constatar que Portugal apresentou uma forte alta no número de casos e mortes em janeiro/2021. Felizmente, o país conseguiu se recuperar bem dessa onda, e hoje os índices já estão bem mais baixos.

Desde o início da pandemia, houve em Portugal 855 mil casos confirmados e mais de 17 mil mortes, o que demonstra os problemas que o país enfrentou no manejo da pandemia.

No momento, brasileiros podem entrar no país, mas com vários requisitos: é preciso ter visto de estudante, apresentar um PCR negativo realizado até 72 horas antes do embarque e realizar quarentena obrigatória de 14 dias.

Vacinação em Portugal

Até o momento, Portugal já aplicou mais de 6,6 milhões de doses, imunizando cerca de 42% da população.

#12 – Intercâmbio na Argentina

A Argentina, desde março/21, tem enfrentado uma nova onda de coronavírus. Essa situação, somada a uma economia já arrasada, tem sido bastante preocupante para a população argentina.

Recentemente, o país bateu o triste marco de 80 mil mortes relacionadas ao Covid-19 e encontra-se sob uma nova quarentena com rígidas restrições.

Portanto, neste momento o mais importante é esperar para ver como a Argentina irá manejar essa nova onda, e torcer para o país se recuperar logo. As fronteiras, é claro, seguem fechadas.

Argentina e a vacina

Na Argentina estão sendo utilizadas principalmente as vacinas da AstraZeneca, Sputnik V, Pfizer e BIBP. Até o momento, cerca de 27% da população já foi imunizada.

#13 – Chile

O Chile também está passando por uma longa segunda onda em relação ao Covid-19. Mesmo com a população sendo aos poucos vacinada, os números no Chile se multiplicam e atingem recordes desde o início da pandemia.

Até o momento, já são mais de 1,4 milhão de infectados e 30 mil mortos no país. Para tentar conter essa nova onda, o país entrou em um novo lockdown, com medidas restritivas que incluem o fechamento das fronteiras.

Vacinação no Chile

Até o momento, quase 60% da população do Chile já recebeu pelo menos a primeira dose. As principais vacinas utilizadas no país são a da Pfizer, a CoronaVac, a CanSino e a da AstraZeneca.

Cancelamento de Intercâmbio na Pandemia de Covid-19. Como Funciona?

Em agosto/2020 entrou em vigor a lei 14.046/20, a qual dita regras para o cancelamento ou adiamento de eventos e serviços dos setores de cultura e turismo em razão da pandemia de Covid-19.

Segundo essa lei, hotéis e agências de turismo não precisam reembolsar o consumidor se oferecem a opção de remarcação ou disponibilizarem créditos. Tanto a remarcação quanto a disponibilização dos créditos devem ser realizados em até 1 ano após o fim do estado de calamidade pública.

Na prática, cada agência definiu regras mais específicas, algumas até mesmo oferecendo opções de reembolso. A Egali, por exemplo, reembolsa seus alunos em até 30 dias mediante uma multa prevista pelo TAC (Termo de Ajustamento de Conduta).

Nossa dica é: em caso que qualquer dúvida a respeito do seu pacote de intercâmbio, contate a sua agência ou escola e esclareça todos os pontos

A reabertura para os intercambistas e Turistas… e a posição do Brasil

Do ponto de vista dos países, vemos que os países da Oceania tem maior chance de reabrir completamente suas economias, inclusive para escolas internacionais. A austeridade que trataram a crise do coronavírus deu esta vantagem a eles. A minha projeção inicial era que até setembro poderíamos ter um relaxamento maior por lá para estrangeiros, mas não foi o caso.

Neste momento, tudo indica que planejar o intercâmbio para a Europa, Canadá, Austrália e Nova Zelândia durante 2021 pode ser mais difícil de realizar.

Contudo, após o segundo semestre, quando as campanhas de vacinação já houverem imunizado boa parte das populações, é possível que haja uma maior flexibilização e retomada das atividades de turismo e intercâmbio.

Os EUA, depois de todos desafios, está tomando a dianteira e pode ser o primeiro a ter as fronteiras minimamente abertas e a economia rodando.

Ao mesmo tempo, não podemos olhar somente para os outros países, precisamos olhar para o Brasil.

Estamos em uma crescente dos casos de Coronavírus e nossos governantes não conseguem se conversar, nem mesmo ser transparentes no trato das informações. A “decisão” implícita do Brasil, foi fazer uma quarentena “meia-boca” e conviver com ela por muito tempo, em vez de tomar atitudes drásticas e reduzir rapidamente os casos com aconteceu em outros lugares do mundo.

Em números absolutos, o Brasil é o 2º país com mais mortes por Covid-19 no mundo, e o número de casos só aumenta. Em março e abril/21 atingimos os recordes de toda a pandemia, com mais de 4 mil mortes por dia. Até o momento, já são mais de 17 milhões de infectados e 482 mil mortos desde o início da pandemia.

Agora, estamos em meio ao início da campanha de vacinação em todo o país. Contudo, enquanto profissionais da saúde, residentes de asilos e indígenas estão sendo imunizados, outros grupos se posicionam contra a CoronaVac, vacina de origem chinesa que está sendo administrada no Brasil, gerando instabilidade na população.

Estamos pagando o preço com TEMPO e doses de tristeza… 480 mil doses neste momento!

Covid no Brasil
Reabertura Intercâmbio – Casos de Covid no Brasil – 11-Junho-2021- Fonte-Wikipedia-Google

Para concluir

Ainda que as campanhas de vacinação já tenham iniciado em boa parte dos países, o fato é que ainda levará alguns meses até que todos sejam imunizados. Até lá, as fronteiras devem permanecer fechadas para reduzir a propagação do vírus e evitar maiores estragos.

Mesmo que alguns países como Nova Zelândia e Austrália estejam mais seguros em suas portas para o mundo em um futuro breve, eles podem (e devem) seletivamente fechar temporariamente para aqueles países que representarem um risco para a volta do Coronavírus.

Hoje, o Brasil ainda é um dos países que mais oferece este risco e parece que nosso número de casos não tende a diminuir tão rapidamente quanto gostaríamos.

Contudo, há esperança: pode ser que realizar um intercâmbio em 2021 ainda seja possível, principalmente após o segundo semestre!

Por fim, sugiro que mantenha o plano vivo e as contas em dia se possível. Pode demorar uns meses a mais ou menos, mas logo o mundão estará com a suas portas abertas par quem quer viajar, estudar ou trabalhar no exterior 🙂

Pronto para planejar seu intercâmbio? Preencha o formulário abaixo e fale com as melhores agências para planejar a viagem dos seus sonhos.

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *