Costa Rica, dia 8 – Uvita, parque e cachoeira

Amanhecer em Uvita, em um hostel no meio do mato da Costa Rica, foi algo mais que adequado para o penúltimo dia da turnê. O começo do dia foi em uma padaria em que comi um bolo com café preto por 1100 colones (aprox. R$9).

Depois, a Cascada Verde (cachoeira com o mesmo nome do hostel que fiquei) ficava a 5 minutos do meu quarto. Ótimo motivo para ficar para passar a manhã por lá.

Se não era a cachoeira mais espetacular do mundo, era pelo menos conveniente, bonita e com várias opções. Três poços bem diferentes, sendo que em um deles vi uns locais saltando de cima de uma árvore – 15m de altura talvez.

Cascada Verde em Uvita, Costa Rica2
Relaxando na Cascada Verde em Uvita, Costa Rica

Almoço em uma Soda qualquer (soda = restaurante/ boteco típico), um Casado por 3300 colones. Depois tomei um cafézinho fantástico (expresso simples custa uns 1000 – 1200 colones)

Depois tive que trocar dólares por colones pela última vez. Perdi uns 40 minutos no banco.

Casado - feijão com arroz - é prato típico na Costa Rica
Casado – feijão com arroz – é prato típico na Costa Rica

Para fechar fui ao Parque Nacional Moreno Ballena que recebe este nome por dois motivos: a região é visitada por baleias 2 vezes por ano, e porque vista do alto, a praia parece o rabo de uma baleia.

O parque basicamente tem as praias para ver e nada mais. Custa US$6 a entrada e o estacionamento 2000 colones (sim, em alguns lugares falam o preço em dólar, outros em colones. Na verdade os parques normalmente cobram em dólares.)

Mais um vez para o por do sol que não me decepciona jamais!!!

Por do Sol em Uvita, Costa Rica (dia 2)
Por do Sol em Uvita, Costa Rica (dia 2)

No hostel, mais uma vez resolvi fazer a janta e finalmente descobri a forma de fazer um omelete ficar gostoso: ponha pimentão, cebola, queijo, jalapeño e o principal – esteja com bastaaaaante fome! =o)

As compras que fiz e serviram ainda para o café da manhã foi de 4500 colones.

Ah.. .durante o dia considerei quatro opções, mas optei relaxar por Uvita mesmo. Eis as opções e o motivo do descarte:

  1. Cachoeira Nayuaca – Parece linda, mas era uma trilha de 1 hora para ir e mais 1 hora para voltar. Quando considerei ir, já era tarde.
  2. Cachoeira Fallanas – Era perto, mas não tinha nada demais. Eu iria se não tivesse demorado tanto no banco.
  3. Borucas (Povo indígine) – 1 hora e pouco dirigindo de Uvita até lá, ficou para o dia seguinte.
  4. Tour para avistar baleias. Disseram que tem de julho a outubro e de dezembro a março. Ouvi gente dizendo que fez o tour viu, era uma opção… certamente cara, mas para quem gosta, está no lugar certo!

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *