Como usar milhas? Comprar passagens, hotéis, produtos ou vender milhas?

Você está usando bem suas milhas? Eu suspeito que não… Por isso, fiz este artigo com tudo que venho aprendendo e pesquisando nos últimos anos sobre o assunto.

Já falei dos primeiros passos para você começar a acumular milhas (porque vale a pena) e também dei um exemplo de como vou ganhar 25,000 milhas na minha próxima viagem, sem esforço. Assim como o seu dinheiro, não adianta você ganhar um monte de milhas e depois gastar mal. É muito importante saber COMO, QUANDO e principalmente COM QUE GASTAR.

Você vai ver que com uma conta simples, dependendo de como você usar, uma milha pode valer até 220% mais!

Ah… pelo amor de Deus… NUNCA deixe suas milhas expirarem, é como rasgar dinheiro.

Vamos ao que interessa e é o motivo deste artigo: como usar milhas!

Primeiro, a boa notícia… resgatar milhas está mais fácil do que nunca.

Antigamente (há bem pouco tempo atrás), o processo para resgate de milhas era chato e complicado. Precisava ficar ligando louco, buscando, pesquisando até que finalmente encontrava um bom negócio.

Por este e outros motivos, muita gente achava que milhas não valiam a pena. Realmente era complicado.

Hoje em dia, o processo é bem mais fácil. Os três principais planos de milhagem do Brasil (Multiplus, Smiles e TudoAzul) você consegue fazer tudo pelo site, seja para compra de passagens, ou de outros prêmios.

Nos gringos, depende de como você vai usar. Aqui, algumas das minhas experiências recentes para emissão de voos com milhas.

  • Aadvantage: para voos da American Airlines e da British Airways, você consegue emitir direto pelo site. Para outras, você precisa ligar. É chatinho, mas funciona. O principal problema é que tem taxa de emissão da passagem
  • MileagePlus: Seja para voos da United Airlines, seja para voos de parceiras, você consegue fazer tudo pelo site.
  • Emirates Skywards: Para saber a disponibilidade você pode preencher um formulário no site ou ligar no 0800 aqui do Brasil. Porém, para emitir, você precisa preencher o formulário no site GRINGO. Quando consegui uma disponibilidade fizeram a minha pré-reserva (de um dia para o outro) e mandaram pelo e-mail. Depois tive que ligar no 0800 de novo, para finalizar a reserva e pagar a taxa de embarque com meu cartão. Apesar do fluxo “burro”, funcionou bem e fui bem atendido.

Agora sim, vamos finalmente ao que interessa!

Ah… antes de começar, vou avisando que a última opção, talvez seja a melhor opção! 🙂

#1 – A sua melhor opção: passagens aéreas internacionais

Decolando do aeroporto de Dubai com a Emirates
Decolando do aeroporto de Dubai com a Emirates

Fiz uma pesquisa de possíveis compras e também levantei meu histórico de regates. Em 95% dos casos, o que mais vale a pena é trocar milhas por passagens internacionais.

A grande questão, claro, é que para viagens internacionais você precisa de mais milhas… Mas, nem tanto também e vocês vão entender na hora certa!

Vamos aos meus exemplos pessoais (em um cenário bom e relativamente frequente).

Fiz uma viagem no ano passado para Montevido (GRU – MVD), por 19.000 milhas (Multiplus), que foi uma boa. Uma passagem barata para o Uruguay, sem taxas, seria R$ 550,

  • Ou seja, cada milha valeu R$ 0,029
  • No cenário excelente e raro, 10.000 milhas e preço R$ 350, cada milha vale R$ 0,035

Por fim, dois exemplos de voos internacionais intercontinentais que peguei com a AAdvantage. Em ambos casos, é um cenário excelente, mas fácil de conseguir pois os programas de milhagem gringos são mais “práticos” e com valores fixo.

  • São Paulo (GRU) -> Dallas: 60.000. Cada milha valeu R$ 0,025
  • Nova Iorque -> Tokyo: 50.000. Cada milha valeu R$ 0,026

Ou seja, pela minha experiência, cada milha vale em média R$ 0,027 quando se usa para voos internacionais!

#2 – A segunda melhor ou uma pegadinha? Voos nacionais com milhas

Por uma série de razões, o uso frequente das milhas é para voos nacionais. Uma das razões é que teoricamente precisa-se de menos milhas, ou seja, é mais fácil de chegar a um nível de milhas que se possa resgatar.

Mas será?

Vamos a dois exemplos:

Comprei uma passagem para ir de SP (GRU) para Palmas (visitar o Jalapão) no carnaval de 2017. Tanto pela Multiplus quanto pela Aadvantage o trecho custava 10.000 milhas ou R$400 reais (sem taxa) na Latam – em uma super promoção.

  • Ou seja, neste bom cenário cada milha valeu R$ 0,019
  • Ah, vale lembrar que com 19.000, fui para Montevideu. É mais perto, mas é outro país.

Compro passagens para Curitiba (CGH – CWB), por 10.000 milhas (Smiles ou Multiplus), em um bom cenário. Em um bom cenário também, compraria as passagens (sem taxa), por R$ 200.

  • Ou seja, no bom cenário cada milha valeu R$ 0,017
  • No meu cenário mais comum, compro por 12 ou 13 mil milhas. Quando cada milha valendo R$ 0,014!!!!!!!!!!!!
  • No cenário excelente e raro, 7.000 milhas e preço R$ 165, cada milha vale R$ 0,024
Compra passagem aérea Gol X Smiles
Compra passagem aérea Gol X Smiles

Ou seja, voos nacionais são negócios em média 25% PIORES que os voos internacionais.

Para falar que não falei de flores, fiz um resgate com o MileagePlus, voando Azul, de GRU para Fortaleza. Este voo custa em média R$ 900 (com taxas, o que é diferente de todos os outros exemplos). Paguei 25.000 milhas, já com as taxas incluídas. Cada milha valeu R$ 0,036. Um exceção, tanto para voos nacionais como para voos internacionais.

Apesar de ser uma exceção na minha experiência, é um caso possível de ser repetido se eu acumular milhas na MileagePlus ou Aadvatage. Isso porque os programas de milhas gringos tem preços fixos por região. Ou seja: qualquer voo da MileagePlus do Brasil e para o Brasil, vai custar 12.500 milhas. Sendo assim, ir para Fortaleza (que custa R$ 900) é um ótimo negócio. Ir para Curitiba (que custa R$ 260), é péssimo negócio!

#3 – Hotel…. Vale a pena? Depende!

Bem, bem, bem… Vou ser sincero. Antes de fazer as pesquisas para este artigo, eu achava que nenhuma das próximas opções servia.

Me enganei!

Para Hotel, tem caminho que vale a pena. E tem caminho que não vale taaaaaanto a pena. Como sempre, tudo depende do contexto. Vamos aos casos:

  • Hotel Curitiba pelo Booking ou pelo Smiles (powered by Booking). Em dinheiro, R$ 250. Em pontos, 21.000 milhas. Cada milha valendo R$ 0,011 – PÉSSIMO NEGÓCIO!
  • Voucher de 40 Euros (R$ 160, a câmbio de Nov/17) para a rede Accor, tanto pela Multitplus quanto pela Smiles, 6.000 milhas. Cada milha valendo R$ 0,027 – ÓTIMO NEGÓCIO! Claro que neste caso você fica preso aos hoteis ibis, Mercures, etc etc. Mas se eles estiverem entre as suas opções, pagar com milhas será excelente!
Reserva de Hotel no Booking X Smiles
Reserva de Hotel no Booking X Smiles

#4 – E alugar carro…

Aqui vale um comentário / recomendação que na verdade vale para TODOS!

A conta tem que ser feita em cima do melhor preço. Então, por exemplo: estou comparando a locação de um carro popular por dois dias em Curitiba, pela Localiza (parceira Smiles) e Unidas (parceira Multiplus). Em termos de quantidade de milhas, elas pedem um valor parecido 7.400 ou 7.200, respectivamente. Porém, no preço da locação em dinheiro para 2 diárias, a Unidas está R$50 mais cara (R$ 194 X R$142,60)

A conta por milha, seria enganadora neste caso. Pois a locação na Unidas, cada milha valeria R$ 0,027. Só que isso é irreal. Na prática, se você fosse pagar em $, porque pagaria R$50 exatamente pelo mesmo carro?

Não tem sentido.

Logo:

  • O valor de cada milha é R$ 0,019 (R$ 142,60 / 7.400).

Comparando com os voos nacionais, temos aqui uma boa barganha, já que são comparáveis! Já com os internacionais, uma perda de 25%.

#5 – Comprar produtos com milhas

Mais uma vez me surpreendi…

Normalmente só compro produtos quando minhas milhas estão para expirar, mas eventualmente podem ser um bom negócio. Fiz algumas análises e estão bem consistentes com outros pontos.

  • Iphone 7 – Ponto Frio, pela Smiles: 279,435 milhas ou R$ 3,783 na loja mais barata do Buscapé. Cada milha vale R$ 0,014
  • Iphone 7 – Ponto Frio, pela Multiplus: 198,190 milhas ou R$ 3,783 na loja mais barata do Buscapé. Cada milha vale R$ 0,019
  • Microondas – Ponto Frio, pela Smiles: 24,779 milhas ou R$ 299,90 na loja mais barata do Buscapé. Cada milha vale R$ 0,012
  • Mini Scooter a bateria (brinquedo)- Extra.com.br, pela Smiles: 103,994 milhas ou R$ 1.599,90 na loja mais barata do Buscapé. Cada milha vale R$ 0,015
  • Tênis esportivo Adidas – Netshoes, pela Multiplus: 14,380 milhas ou R$251,91 na Netshoes. Cada milha vale R$ 0,018
  • Ingresso de Cinema – Cinemark, pela Multiplus: 1,270 milhas ou R$ 30 no Cinemark de São Paulo. Cada milha vale R$ 0,024 (BOM NEGÓCIO!)

#6 – Vender suas milhas: talvez a melhor opção!

Indo muito direto ao ponto!

Fiz duas pesquisas rápidas no Hotmilhas e no MaxMilhas (que só compram milhas das companhias nacionais) e as cotações foram:

  • R$ 0,022 / milha da Smiles
  • R$ 0,026 / milha da Multiplus

Pelos casos que mostrei aqui, poucas vezes as milhas tiveram preços melhores do que estes.

Cotação para vender milhas
Cotação para vender milhas

Mas Homero, então por que você não diz que vender milhas é a melhor opção?

Bom, na matemática, fica claro que você consegue fazer melhor proveito do que vender a estes preços. E se alguém está te pagando R$ 0,026 por um milha, é porque este alguém está fazendo um melhor negócio na revenda desta milha, obviamente.

Porém, milha é um negócio que te limita. Com milhas da Multiplus, você só compra de parceiros Multiplus e só quando estiver disponível. A mesma coisa acontece com Smiles ou qualquer outra.

Com dinheiro no bolso, você faz o que quiser. Além disso, com dinheiro no bolso ele pode render na sua poupança!

Por fim, vender milhas inclui um risco (hoje menor, porque algumas compradoras de milhas já estão no mercado há bastante tempo). De qualquer forma, a forma de vender milhas muitas vezes inclui você dar sua senha e usuário para a empresa que comprou as milhas. Eu mesmo não fico muito confortável com isso.

A boa notícia, é que MaxMilhas por exemplo, permite que você emita a passagem para o comprador. Ótimo, mas aí entra outro risco. Você tem que fazer isso muito rápido (para não perder o negócio) e também NÃO PODE ERRAR. Ok, é só fazer com atenção, mas é um risco.

Conclusões: Como usar milhas, fazendo elas valerem mais!

Administrar milhas é complicado e comparar as opções também não é fácil. Abaixo, tem algumas boas práticas, mas que também não são regras. A regra é fazer as contas!

  1. No geral, milhas de companhias gringas valem mais. Das nacionais que uso, Multiplus normalmente (eu disse, normalmente…) tem um valor melhor por milha que a Smiles, principalmente nos produtos.
  2. Se possível, priorize voos internacionais
  3. Se não for possível, busque voos nacionais mais longos, principalmente se suas milhas forem de programas gringos
  4. Trocar por hotel, aluguel de carro e outros produtos pode fazer sentido. Eles são meu porto seguro sempre que as milhas estão próximas a expirar!
  5. Sempre pesquise o valor em R$ e faça a conta Preço em dinheiro / Milhas. Se estiver perto de R$0,02, talvez faça sentido. Se estiver perto de R$ 0,025 está ótimo! Menos de R$ 0,015, melhor rever. Vi gente por aí falando em 1 milha valendo R$ 0,03. Honestamente, acho que foi em outro tempo =/
  6. No meu melhor cenário, uma milha valeu R$ 0,036. No pior, R$ 0,011. Como você prefere resgatar? Pesquise! 🙂
  7. Na dúvida? Veja a hipótese de vender as milhas e colocar o dinheiro no bolso para comprar o que quiser.

Milhas é dinheiro. Cuide bem delas. Não deixe expirar e sempre faça a conta para ver se é um bom negócio!

Pesquisas de preços realizadas em 21/11/2017, semana de Black Friday. Meus exemplos de uso de milhas foram entre 2013 e 2017.

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *