Os 9 erros mais comuns no intercâmbio! E como evitar…

Como em tudo na vida, erros vão acontecer, sem dúvida, e nesta hora o mais importante é reconhecer e tentar corrigir o mais rápido possível… Mas, o melhor mesmo é tentar evitar quero dar aqui a minha forcinha! 🙂

Erros no intercâmbio… nossa, se eu pudesse voltar no tempo e mudar as coisas, é certo que eu faria alguns ajustes. Está certo que não é justo, o Homero de hoje consegue avaliar muito melhor a situação do que lá em 2008.

Mas não foram só os MEUS erros no intercâmbio… Vi muita gente fazendo bobagem também. Ufa, não estou sozinho nessa!

#1 – Ter medo

O principal medo é de falar o idioma do destino. Muita, muita gente chega com o idioma muito fraco é verdade, mas a melhor forma é sair praticando de tudo quanto é jeito: assistindo TV, ouvindo rádio, lendo e PRINCIPALMENTE FALANDO COMO TODO MUNDO NA RUA!

Acho muito legal aquelas pessoas que saem sozinhas depois da aula e vão dar uma passeada no shopping só para entrar de loja em loja para perguntar qualquer coisa. É só para praticar mesmo…. Além de praticar o idioma, é uma ótima forma de fazer amigos. 🙂

Outra situação comum, é não se candidatar para uma vaga X ou Y porque acha que o inglês ainda não é bom o suficiente.

Amigos, digo o seguinte: não diga não pelos outros. Tente a vaga e se não gostarem do seu inglês, paciência, ao menos você não fechou uma porta sem tentar. Ou então, se você passar, o pior que pode acontecer é você ser demitido…. O que vamos combinar não é nenhum problema né?

Enfim, a melhor forma é sempre, SEMPRE, enfrentar o medo.

#2 – Deixar para depois

Partiu próxima parada, em Lisboa, Portugal.JPG

Ah, a maldição de deixar as coisas para depois, eu mesmo fiz isso. E posso dizer, nunca deixe para depois. Coisas comuns que vejo as pessoas “deixando para depois”:

  • O próprio intercâmbio – Só vou depois disso, só vou depois daquilo, só vou depois de aprender o inglês intermediário. Bullshit! Larga de bobagem e marca a data de uma vez
  • “Quando eu chegar vou ficar com brasileiros / com amigos, depois tento morar com estrangeiros” – Quando pior for seu inglês, mais urgente é você ir morar e criar relacionamentos com estrangeiros, mesmo que não sejam nativos. SE JOGA!
  • Procurar emprego em que possa praticar o idioma – tem a ver com o que falei anteriormente e foi um caso que a Carla contou aqui estes dias. Tente todos os tipos de vaga, desde o dia 1 do seu intercâmbio. As coisas vão acontecer no tempo certo, não seja você o procrastinador

#3 – Não estudar

Parece piada né…. Mas no meu intercâmbio na Irlanda, das 6 ou 7 pessoas que tinham nada sala, sempre estavam eu e mais 1 ou 2. Cada dia tinha uns 3 ou 4 que faltavam. Não vou dizer que eu era um santo, mas tive mais de 80% de presença (e meu objetivo com o intercâmbio nem era estudar). O que mais me espantava era que alguns não iam à aula porque estavam trabalhando, mas a maioria ficava em casa dormindo.

#4 – Não praticar o suficiente

Além de não estudar na sala, muita gente não fazia questão nenhuma de estudar.

Estudar significa fazer os exercícios, mas significa principalmente se colocar em situações reais como disse antes. Vai do básico de assistir TV e ouvir a rádio local, até realmente sair pelas ruas falando com as pessoas.

Para me forçar, fui morar com dois irlandeses, e foi a melhor coisa que fiz. Além do trabalho e dos amigos gringos, praticava diariamente falando sobre amenidades ou sobre as coisas da casa.

#5 – Escolher o destino errado

Mapa Austrália - Fonte-Pexels

No meu intercâmbio em Dublin, vi muuuuuuuita gente reclamando do frio. Gente falando que ficou depressivo por causa do frio e da chuva.

Com tanta informação disponível não tem como errar o destino do intercâmbio. O que muitas vezes leva as pessoas a tomarem uma decisão ruim é o preço. Por exemplo, fazer um intercâmbio de 6 meses na Irlanda é muito mais barato que 6 meses na Nova Zelândia ou Austrália. Aí mesmo a pessoa querendo um lugar quente e tal, acaba sucumbindo ao preço.

Eu entendo, mas dependendo de como a pessoa encara as coisas, pode ser fatal para o quanto a pessoa vai aproveitar o intercâmbio.

#6 – Perder o foco

É muito fácil perder o foco no intercâmbio. Todo dia uma coisa nova. Todo dia, pessoas novas. Festas, viagens, um mar de coisas. Se necessário, pregue um papel no teto do seu quarto com o motivo de você estar lá. Assim, todo dia quando acordar, você vai se lembrar!

Gente que foi com a intenção de renovar o visto, mas gastou muito dinheiro em festas e cerveja. Gente que queria ficar apenas 1 ano e aprender inglês, mas teve que ficar mais porque depois de 12 meses viu que não tinha estudado o suficiente. Tem de tudo…

  • Se o seu foco é aprender o idioma: estude
  • Se quer guardar dinheiro: diminua a cerveja
  • Se quer fazer um baita mochilão no final: planeje e economize
  • Se quer farra…. não se limite!

Estudar ou economizar, não significa aproveitar o intercâmbio. Significa aprender a balancear as coisas e manter o foco!

#7 – Não fazer os amigos corretos

Isso está intimamente relacionado ao ponto #6.

Não vou dizer que os brasileiros são pessoas corretas para o seu intercâmbio… Eles podem ser. Mas os principais amigos (ou os amigos corretos) devem ser o gringos, aqueles com quem você vai falar outro idioma e vai aprender outras formas de ver a vida.

De novo, o problema não é fazer amigos brasileiros, eu mesmo fui com um amigo para a Irlanda. O problema é ficar SÓ com os amigos brasileiros e acomodar-se ali.

#8 – Fazer contas burras

Quanto custa um intercâmbio

Uma das coisas que me arrependo (e me dá até um pouco de vergonha comentar) é que em Dublin eu não comprei uma bicicleta. Muita gente fazia isso, meu amigo inclusive fez, e eu peguei emprestado dele algumas vezes.

Em Dublin é muito comum andar a pé… E eu andava muuuuuuuito. Porém, para distâncias um pouco maiores, a opção principal era o ônibus. O que eu poderia ter economizado de ônibus, as vezes de táxi, ou de tempo com uma bicicleta é uma enormidade. E a bicicleta me custaria 50 – 100 euros… quase nada perto do investimento todo que fiz no intercâmbio.

Outra coisa é economizar em viagens que vai fazer durante o intercâmbio. Uma vez que você está lá (na Europa, Oceania, EUA, onde quer que seja), uma parte muito cara da viagem já foi gasta – passagens, seguro e eventualmente visto. Investir em viagens durante o intercâmbio é também uma forma de aproveitar este gasto fixo! 🙂

#9 – Achar que o intercâmbio é muito caro

O intercâmbio custa o mesmo que uma férias… Entre aqui no simulador de intercâmbio e depois no simulador de viagem e veja quanto custa ficar 1 mês fora estudando ou passeando.

Além disso, muita gente fica anos e anos estudando inglês duas vezes por semana. Com professor nativo, aula particular etc. Não importa, NADA, eu disse NADA se compara a sair da aula depois de ter aprendido que ônibus é “bus” e sair pegar o ônibus no “bus stop”.

Intercâmbio é vivenciar um idioma, é vivenciar uma cultura. Isso é impagável, insubstituível!

Como disse, erros no intercâmbio são comuns e você também vai fazer! O importante é evitar aqueles que podem atrapalhar a sua jornada e aprender com os que eventualmente acontecerem…

 

Está pronto para fazer um intercâmbio? Preencha o formulário abaixo e fale com diversas agências de uma só vez. Receba orçamentos, comparece preços e arrume suas malas!

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *