Costa Rica, dia 10 – O retorno… devolução do carro, check-in, aeroportos e desembarque

Normalmente o último dia é reservado para os trâmites burocráticos: check-out de hotel, devolução de carro, check-in de malas etc. Como meu voo estava marcado para as 12:20 e estava completamente traumatizado com o com a experiência da chegada saí 7:45 do hotel sendo:

  • 9:20 preciso estar no aeroporto para check-in, ou seja, 3h de antecedência conforme solicitam as companhias aéreas.
  • até as 9h ter devolvido o carro
  • 8:30 estar na locadora para devolver o carro e ter tempo para qualquer inconveniente
  • 45 minutos de trânsito mesmo a recepcionista do hostel falando que no máximo levaria 30 min (traumatizei mesmo, mas demorou 35 minutos)

As locadoras de carro funcionam muito bem. Cheguei com o carro e tem o lugar específico para devolução. Eu era o segundo da fila, mas não demorou mais de 3 minutos até que o auditor viesse até mim.

Enquanto tirava a mochila e fazia o último check para ver se não havia esquecido nada o auditor me liberou, nem 5 minutos. Assinei um termo dizendo que estava tudo ok. Ele me confirmou que o bloqueio de garantia feito no carro já seria liberado no cartão e me mostrou onde ficava a van que iria ao aeroporto. Funcionou quase tão bem como nos EUA.

O estranho e tranquilo embarque em San Jose, Costa Rica
O estranho e tranquilo embarque em San Jose, Costa Rica

Na noite passada não havia conseguido fazer o check-in. Na van para o aeroporto, consegui fazer o check-in (acessando o check-in da Avianca através do app WorldMate em vez de ir direto pelo browser do celular, não sei se isso fez a diferença). Normalmente, check-ins internacionais servem mais para você reservar assentos, mas neste caso, sabe lá o porquê, foram emitidos as passagens eletrônicas para celular.

Fiquei confuso e resolvi ir até um totem de autoatendimento para ver se a passagem estava pronta. Para minha surpresa, consegui imprimir os bilhetes.

Resolvi então entrar na área de embarque e voi lá! Como tudo correu assustadoramente mais rápido do que imaginei, 9:20 eu já estava na sala de embarque olhando possíveis souvenirs.

No aeroporto de San José (Costa Rica), os preços estavam muito parecidos com o do Brasil para os itens que estava olhando. Fazendo a minha comparação tradicional (como fiz no Panamá), vi que os preços, por exemplo:

Relógio Fossil Masculino:

  • Duty Free Costa Rica – US$153
  • Duty Free Brasil (consulta via internet) – US$185
  • Amazon.com (EUA) – US$116
  • Buscapé – R$680 (convertendo o preço ficaria quase igual ao Duty Free Brasil)

Como o benefício em relação ao Brasil estava próximo, deixei para a parada seguinte: El Salvador.

O aeroporto de San Salvador (capital) é maior do que eu imaginava e tem muuuuuuitas lojas do mesmo tipo, diferente do Brasil que só tem uma loja de cada tipo. Isso faz com que tenha concorrência e descontos.

Comprei um relógio parecido por US$140 e que estava anunciado originalmente por US$155 (na Amazon.com estava US$116). Ainda tinha outro que na Amazon estava US$110 e lá era US$125 antes do desconto (no Duty Free de Lima no Peru, este mesmo relógio saía por US$110)!!!! Mas enfim, este item em promoção fugia do que me haviam encomendado.

Corredor de lojas no aeroporto de San Salvador
Corredor de lojas no aeroporto de San Salvador

Outra coisa que procurei foi Amarula. Um kit com duas garrafas de 1 litro era US$38 na Costa Rica, US$ 36 em San Salvador e US$36,5 no Brasil. Os 50 centavos não valiam o transtorno de ficar carregando e deixei para comprar no Brasil. Com este preço de US$36, ficou quase o preço de se comprar 2 garrafas de 750ml no Buscapé.

Como estava apenas com uma mochila, não precisei em nenhum momento sair da área internacional dos aeroportos nem passar por nenhuma checagem adicional. Apenas no Peru eles passaram por um raio-x a mochila e ponto.

A chegada, mais uma vez sem transtorno, alguma fila mas nada grave na Polícia Federal e sem problemas na alfandega. Vale dizer que agora todo mundo passa pelo raio-x na Polícia Federal no Brasil, então, atenção aos sacoleiros! =o)

Bom, agora é relaxar e ajustar o possível jetlag das 4 horas de fuso horário.

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *