Ensino Superior: Graduação, Pós, Mestrado, Doutorado. O que são, Diferenças, Como Entrar, etc.

Em primeiro lugar, se você está procurando saber tudo sobre o Ensino Superior, já deve ter se deparado com palavras como graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado. Mas, afinal, o que são e como funcionam os graus acadêmicos?

Logo quando estamos saindo do Ensino Médio já nos deparamos com um universo de possibilidades. Por isso, é fundamental termos todas as informações necessárias para tomarmos a melhor decisão em relação ao nosso futuro e carreira.

Nesse sentido, preparamos este artigo para você que tem curiosidade em saber mais sobre como funciona esse universo do Ensino Superior e dos títulos acadêmicos. Confira!

Menu do artigo:

1. Graduação

Guia do ensino superior: Graduação
Guia do ensino superior: Graduação – MD Duran on Unsplash

Antes de mais nada, boa parte dos alunos que concluem o Ensino Médio pensam em cursar uma graduação. Esse é o primeiro degrau da formação do ensino superior e abre muitas portas no mercado de trabalho.

Além disso, muitas áreas exigem um curso de graduação para que o profissional possa exercer aquele ofício, como é o caso da advocacia, engenharia, medicina, psicologia, nutrição, entre outras.

Como funciona?

Em primeiro lugar, é importante destacar que existem dois tipos de cursos de graduação:

  • O Bacharelado prepara o estudante para o mercado de trabalho propriamente dito, ou seja, para atuar nos setores industrial, comercial e de serviços. Disponível em praticamente todas as áreas, o aluno terá uma formação teórica e prática que o habilitará para o mercado de trabalho, adquirindo o título de Bacharel.
  • Já os cursos de Licenciatura formam docentes (professores) habilitados a darem aula desde a 5ª série até o Ensino Médio. Além da formação teórica e prática, o curso engloba disciplinas voltadas à formação de professor, como Didática, Psicologia da Educação e Metodologia do Ensino.

Além disso, em um curso de graduação o aluno terá contato com pesquisa científica, atividades de extensão e estágios extracurriculares, tudo visando a melhor formação profissional e acadêmica.

Quanto tempo dura?

Primeiramente, a duração da graduação varia muito de acordo com cada curso. Além disso, até em um mesmo curso a duração pode variar de acordo com cada universidade.

Tendo isso em mente, os cursos mais curtos são aqueles de graduação tecnológica, também conhecidos como tecnólogos, com duração média de 2 anos. Já o curso mais longo é o de Medicina, com 6 anos de duração. Por fim, no geral a maioria dos cursos possui duração média de 4 anos.

Como entrar?

Existem hoje diversas formas de ingressar no Ensino Superior. Conheça algumas:

  • Vestibular: o vestibular é a forma mais famosa de entrar na faculdade, mas não é a única. Nessa forma de ingresso, o aluno faz a prova diretamente na universidade escolhida e é por ela avaliado.
  • ENEM: o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) vem ganhando cada vez mais espaço no acesso às universidades. A forma de ingresso pelo ENEM mais conhecida é o SISU, onde a nota no exame é usada para entrar em universidades públicas do Brasil. Há também o PROUNI, sistema no qual as notas do ENEM são utilizadas para garantir bolsas de estudos para estudantes de baixa renda em universidades privadas. Por fim, muitas universidades particulares também aceitam a nota do ENEM como forma de seleção, sem precisar passar pelo vestibular.
  • Segunda Graduação: algumas universidades oferecem essa opção para facilitar o processo de quem já é graduado. Nessa forma de ingresso, você mostra o seu diploma e histórico do curso e fica, muitas vezes, isento da necessidade de prestar um novo vestibular.

Conheça os planos de Cursos Online Preparatórios para o ENEM do Descomplica e entra na universidade dos seus sonhos.

2. Pós-Graduação

Tudo sobre o Ensino Superior: Pós-graduação
Tudo sobre o Ensino Superior: Pós-graduação – Emmanuel Ikwuegbu no Unsplash

Após concluir a graduação, fazer uma pós é um caminho muito escolhido por estudantes que desejam dar um segundo passo na sua vida acadêmica. Nesse sentido, a pós-graduação deve ser em uma área relacionada à graduação que o aluno já possui, e serve para aprofundar os conhecimentos no campo escolhido.

Como funciona?

Antes de mais nada, existem dois tipos de pós-graduação:

  • Pós-graduação stricto sensu: sua tradução literal é “em sentido limitado”, e compreende os programas de mestrado e doutorado, com um campo de pesquisa mais restrito e voltados à vida acadêmica.
  • Pós graduação lato sensu: sua tradução significa “em sentido amplo”, correspondendo às especializações e MBAs, mais voltados ao mercado de trabalho. Seu objetivo é aprofundar o conhecimento obtido na graduação ou atualizar o profissional em algum campo de atuação específico.

Nesse sentido, as duas modalidades de pós-graduação diferem muito entre si, seja na própria estrutura do curso (um mais voltado à pesquisa acadêmica, outro mais voltado nas competências procuradas pelo mercado de trabalho), seja nos objetivos alcançados com cada um.

Quanto tempo dura?

Primeiramente, o tempo de duração de uma pós-graduação varia muito dependendo se ela é stricto ou lato sensu. No caso da pós-graduação lato sensu, há uma carga horária mínima exigida pelo MEC de 360 horas. No entanto, as universidades podem distribuir essa carga horária de maneira que preferirem, variando bastante a duração de instituição para instituição.

Quem pode fazer?

Pode fazer uma pós-graduação qualquer pessoa que possua um diploma de Ensino Superior, seja bacharelado, licenciatura ou tecnólogo.

Como entrar?

Em primeiro lugar, os cursos de pós-graduação lato sensu, como especializações e MBAs, são os mais democráticos e acessíveis para entrar. Além disso, também são mais fáceis de conciliar com a vida profissional, visto que são voltados para o mercado de trabalho.

Para se inscrever numa pós-graduação, é necessário checar com a universidade quais são os requisitos e se há algum processo seletivo. De modo geral, a pós lato sensu não restringe áreas, mas pode ser que algumas universidades exijam a graduação em uma área específica.

Além disso, normalmente a pós lato sensu não exige provas ou apresentação de projetos de pesquisa para o ingresso. Em geral, basta que o estudante apresente seu diploma de Ensino Superior.

3. Mestrado

Como funcionam os graus acadêmicos: mestrado
Como funcionam os graus acadêmicos: mestrado – Foto de Andrea Piacquadio no Pexels

O próximo passo do nosso guia do Ensino Superior é o mestrado, um tipo de pós-graduação stricto sensu voltado para quem pretende seguir carreira acadêmica – ser pesquisador ou professor universitário, por exemplo. Além disso, o mestrado também pode ter o objetivo de melhorar a qualificação profissional.

Vale lembrar que o MBA (Master Business Administration), apesar do nome, não é considerado como um mestrado no Brasil, mas sim como uma especialização na área de Administração.

Como funciona?

Antes de mais nada, o objetivo central do mestrado é a entrega da dissertação sobre um tema escolhido. É apenas depois da apresentação e aprovação da sua dissertação por uma banca que o estudante obtém o grau acadêmico de mestre.

Por isso, os programas de mestrado normalmente possuem uma estrutura parecida: no primeiro ano, são ofertadas aulas teóricas para que o estudante tenha repertório para desenvolver a sua dissertação, com o apoio de um orientador, no ano seguinte.

Quanto tempo dura?

Um mestrado tem duração média de 2 anos, podendo variar de acordo com cada universidade. Apesar de não possuir uma carga horária obrigatória muito grande, o curso exige muito empenho “extra-curricular”, com leituras, pesquisas, participações em congressos, etc.

Quem pode fazer?

Antes de mais nada, qualquer pessoa com um diploma de Ensino Superior e proficiência em uma língua estrangeira (normalmente inglês ou espanhol) pode se candidatar para um mestrado, quantas vezes quiser.

No entanto, essa modalidade de pós-graduação normalmente possui um processo seletivo mais rigoroso, contanto até mesmo com a entrevista do candidato.

Como entrar?

Para se candidatar a uma vaga de mestrado, você primeiro precisa ficar atento ao edital disponibilizado pela universidade pretendida. Nele, você encontrará todas as informações importantes, como datas, documentação necessária, forma de avaliação, etc.

Quanto ao processo seletivo, normalmente é composto por análise curricular, provas de conhecimentos gerais e específicos, teste de proficiência em um idioma estrangeiro, entrevista e apresentação do projeto de pesquisa que dará origem à dissertação.

Para conseguir um bom curso, orientador e bolsa de pesquisa, o estudante deve possuir um ótimo histórico escolar e, de preferência, ter participado de um programa de iniciação científica durante a graduação.

4. Doutorado

Como funcionam os graus acadêmicos: doutorado
Como funcionam os graus acadêmicos: doutorado – Foto de cottonbro no Pexels

Por fim, o último passo para entender como funcionam os graus acadêmicos é o doutorado. Nesse sentido, o doutorado também é uma pós-graduação stricto sensu, sendo o “passo seguinte” ao mestrado.

Esse tipo de pós-graduação é o que possui maior carga horária e que exige mais dedicação do estudante, sendo destinado àqueles que pretendem seguir carreira acadêmica. O título de doutor é o grau acadêmico mais alto que um estudante pode conquistar.

Como funciona?

Assim como no mestrado, o estudante de doutorado também deve entregar um trabalho de conclusão, nesse caso chamado de tese, para obter o título de doutor. No doutorado, contudo, a tese deve ser inédita e representar um avanço na sua área de estudo. Isso tudo é avaliado por uma banca, que aprovará ou não a tese do estudante.

Além disso, o formato do doutorado também é semelhante ao do mestrado: há algumas disciplinas obrigatórias que devem ser cursadas no início, e o restante do tempo é destinado à pesquisa e elaboração da tese.

Quanto tempo dura?

O curso de doutorado tem duração média de 4 a 5 anos. Deve-se lembrar que nesse período o estudante precisa propor, pesquisar e defender uma tese inédita e que represente um avanço em seu campo de pesquisa.

Quem pode fazer?

Primeiramente, muitas pessoas acreditam que para conquistar o doutorado é obrigatório ter antes realizado o mestrado. No entanto, isso não é verdade.

É possível, sim, cursar o doutorado logo após a graduação, sem passar pelo mestrado primeiro. Contudo, esse não é o caminho natural, e a grande maioria das universidades dão preferência para os alunos que já tenham passado pelo mestrado.

No entanto, se o projeto de pesquisa apresentado pelo aluno for excepcional e relevante, representando uma grande inovação para a sua área, além de atender a todas as exigências do programa, o estudante pode ingressar de maneira direta. É raro, mas é possível.

Como entrar?

Antes de mais nada, é importante saber que o curso de doutorado possui o processo seletivo mais rígido de todos. Isso porque o curso exige uma maturidade intelectual muito grande para que o aluno consiga acompanhar o ritmo e concluir sua pesquisa.

Portanto, quem pretende se candidatar a um programa de doutorado deve apresentar um bom projeto de pesquisa e, de preferência, ter algum contato com o trabalho desenvolvido na universidade e com os professores do programa. Além disso, o processo seletivo também inclui uma rigorosa análise curricular, provas de conhecimentos gerais e específicos e teste de proficiência para comprovar o domínio em, pelo menos, dois idiomas.

Conclusão

Sendo assim, você já deve ter percebido que são muitas possibilidades a serem escolhidas. A escolha do tipo de pós-graduação (lato ou stricto sensu) depende muito dos seus objetivos e planos de carreira.

Além disso, se você ainda não sabe se quer fazer uma pós, não se preocupe! Haverá bastante tempo para refletir sobre isso depois que você começar a sua graduação.