Japão, comprando passagens aéreas

Uma viagem ao Japão, gera estranheza para muita gente, o que para mim é bem estranho… Mas, acho que isso é por conta de três grandes “lendas” : 1 – não ser um destino comum (e daí?), 2 –  pela distância (ainda bem que vou de avião) ou 3 – então pelo preço da passagem aérea (ok, é mais caro, mas se você gasta R$ 10 mil para passar 20 dias na Europa ou EUA, não por é conta dos R$ 1 mil que você vai deixar de ir para o Japão ou para a China, certo?). Enfim…

Nas minhas pesquisas, encontrei passagens que partiam R$ 3,3 mil + taxas (pela American Airlines e United Airlines, via New York), ou um pouco mais caro, a partir de R$ 3,6 mil + taxas, indo pelo Emirados Árabes (Emirates – via Dubhai, ou Etihad Airways – Via Abu Dhabi). Estava com água na boca para fazer uma paradinha nos Emirados, afinal, 10% a mais, para conhecer um lugar diferente e ainda voar em uma Cia “dita” com melhor qualidade, parecia valer a pena. Acabei abortando a ideia, pois tanto Emirates como Etihad não davam milhas nos planos de milhagem mais comuns no Brasil, e uma viagem para o Japão, nada-nada, vai dar milhas suficientes para uma viagem ida-e-volta para América do Sul.

No fim das contas, acabei seguindo parcialmente a sugestão de um amigo, que era “veja pacotes e viagens saindo dos EUA, podem ser mais baratas”. Como não sou fã de pacotes – não gosto de agendas fixas – fui ver se havia alguma alternativa que valesse a pena em termos de passagem aérea, e encontrei, vou fazer o trecho New York – Toquio (ida e volta), utilizando minhas milhas do Aadvantage (American Airlines). Desta forma, ficou assim:

  • Ida e Volta São Paulo – New York: R$ 2.242, com taxas pela Decolar.com, via TAM
  • Ida NY – Tóquio (Sai do aeroporto de La Guardia, conexão em Dallas e chega no aeroporto de Narita). 25.000 milhas Aadvantage, via American Airlines. BTW, sei que o número assusta, mas 25.000 milhas, é bem interessante para qualquer voo intercontinental.
  • Volta Toquio – NY (Sai do aeroporto de Haneda, sem escala, chega em NY no aeroporto JFK. 25.000 milhas Aadvantage, via American Airlines
  • Obs: Além das 50.000 milhas, foi necessário pagar R$ 145  – R$95 de taxas + R$ 50 de custo de emissão pelo telefone, o site estava com problemas.

Uma última dica – que recebi e vou testar agora na prática – é que para estas viagens muito longas, sempre parar um ou dois dias na cidade de conexão para poder se adaptar “aos poucos” com o fuso horário… E claro, passear por mais um destino, afinal, quem resiste a uma voltinha por New York City?

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *