Planejar sua viagem para África

Planejar viagem para África foi, junto à viagem para Cuba ou Islândia, das tarefas mais complicadas. Além de algumas informações serem difíceis de encontrar, os valores e falta de confiança nos sites e processos esquisitos complicaram toda a história.

Ao mesmo tempo, a expectativa de ver coisas completamente novas, encontrar o “big five”, visitar o skeleton coast, Parque Etosha e o Chobe, entre outras coisas, trazia a animação necessária para fechar o plano.

Roteio de 20 dias na Viagem na África

Para começar, vale dizer qual o meu roteiro no país.

Primeiro, vou passar 4 dias na Cidade do Cabo. O voo de ida faz escala em Joanesburgo.

Depois, a próxima parada é Namíbia. Tínhamos a opção de fazer um tour / safari passando por algumas coisas interessantes, mas o principal foco é o Skeleton Coast e o parque de Sossusvlei. Depois decidimos incluir o Etosha e para conseguirmos fazer tudo isso em 7 dias, a melhor opção foi pegar um voo para Windhoek.

Dunas de Areia no Parque Sossusvlei - Viagem Para África- Foto Pixabay
Dunas de Areia no Parque Sossusvlei – Viagem Para África- Foto Pixabay

Chegando na Namíbia, vamos pegar um carro e dirigir até o Etosha, onde ficaremos 2 dias. Depois desceremos para Skeleton Coast, até chegar em Walvis Bay, o que tomará 3 dias. Por fim, mais 2 dias em Sossusvlei e voltar a Windhoek para começar o Safari.

Vamos pegar um Safari de 8 dias que sai de Windhoek, atravessando a Botsuana (o que inclui o Delta do Okavango e o parque Chobe) para chegar em Victoria Falls.

O último capitulo será voar para Joanesburgo e passar 1,5 dia, para, por fim, voltar para o Brasil.

Planejar com muita antecedência?

Esta viagem para a África foi talvez a trip que eu planejei com mais antecedência, por volta de 6 meses antes comprei as passagens e na sequência fechei Safari e os principais hotéis.

Os Safaris tem datas marcadas então o ponto de partida foi encontrar um Safari que se encaixasse na data das férias, nos lugares desejados e no orçamento.

Não é tarefa fácil.

Na sequência, foi reservar os principais hoteis, que são os que ficam dentro dos parques Etosha e Sossusvlei. Além dos preço alto (altíssimo), a disponibilidade é baixa (baixíssima) porque são 2, 3, 4 opções dentro do parque. Dormir dentro do parque é única opção para ter acesso a algumas coisas, como ver o sol nascer dentro parque ou então fazer um safari noturno.

Além disso, precisei comprar dois voos dentro da África (de Cape Town para Windhoek e de Livingstone para Joanesburgo). São trechos com pouca oferta e que também precisam ser monitorados.

Em suma, planejar a viagem para a África com antecedência é muito importante, principalmente se for pegar alta temporada.

Cuidando da saúde: médico do viajante

Nesta viagem descobri algo: o tal do “Médico do Viajante”.

É um serviço do SUS, portanto gratuito, que faz recomendações para você não passar perrengue na sua viagem. Principalmente em se tratando de lugares mais complicados como boa parte da África, é preciso se prevenir.

Primeiro vamos ao processo, de agendamento e depois às recomendações que recebi.

Victoria Falls no Zimababue - Viagem Para África- Foto Pixabay
Victoria Falls no Zimababue – Viagem Para África- Foto Pixabay

Agendar e ir à consulta

Aqui em São Paulo, fui ao Hospital Emilio Ribas e o agendamento é feito por email (agendamento@emilioribas.sp.gov.br). Mandei o seguinte:

Olá, tenho uma viagem marcada para Africa do Sul, Namibia, Botswana, Zimbabwe e Zambia e gostaria de agendar uma consulta com o medico do viajante, segue abaixo os dados:

  • nome completo:
  • data de nascimento:
  • filiação (nome do pai e da mãe):
  • telefone de contato:
  • horário de interesse: antes das 9 da manhã ou próximo ao horário do do almoço ou fim do dia sugestão de data: semana do dia 20 ou 27/maio

Aguardo retorno, Obrigado!

No dia seguinte me responderam, confirmando agendamento para a data solicitada. 8h do dia 21/maio. Junto, veio um documento com instruções, basicamente solicitando para levar países do roteiro, documento oficial com foto e a carterinha de vacinação.

Recomendações do Médico do Viajante

Na consulta (5 – 10 minutos atrasada), tive que preencher um formulário e o médico fez aquelas perguntas básicas (fuma, faz exercício, bebe etc.). Médico foi bem atencioso e fez as seguintes recomendações e pedidos:

  • Tomar vacina anti-rábica (gratuita nos postos de saúde)
  • Tomar reforço da anti-tetânica (gratuita também)
  • Reforço de vacina do Sarampo (gratuita)
  • Vacina da Febre Tifoide (somente em rede particular)
  • Fazer exame de sangue para ver se precisa tomar a vacina contra Hepatite. Vacina também só tem em rede particular. Depois é preciso voltar lá para ele analisar o exame e prescrever ou não a vacina
  • Remédio preventivo contra a Malária. Recomendou dois tipos, um que você compra no Brasil e outro que você pode comprar ao chegar na África do Sul. Tem que tomar por vááááários dias… =/
  • Um repelente mais forte (por sinal, um que eu já usava)
  • Remédios para o caso de diarreia grave
  • Recomendou beber só água engarrafada nos países e locais mais inóspitos

Ufa… Confesso que saí um pouco preocupado com o taaaanto de vacina. Não tanto pelo medo das doenças em continente africano, mas porque realmente me incomoda ficar tomando um monte de remédio 🙁

Comprando a passagem para África

Passagem para a África é em partes fácil e em partes difícil. A parte legal é que é relativamente fácil achar passagem barata para África do Sul. Durante a pesquisa, voos diretos para Joanesburgo variaram de R$1500 a R$2300.

Por outro lado, as opções de voo direto para os países da África são bem limitados. Joanesburgo, Luana (Angola), Addis Ababa (Etiopia) e Casablanca (Marrocos). Com isso, dependendo do seu destino, a sua vida pode ser um pouco mais difícil de chegar.

Comprando passagens entre os países da África

Pinguins Boulders Beach, Cidade do Cabo - Viagem Para África- Foto Pixabay
Pinguins Boulders Beach, Cidade do Cabo – Viagem Para África- Foto Pixabay

Comprar passagens internas na África requer um pouco mais de pesquisa. Eu sempre uso o Skyscanner e o Google Flights para iniciar minhas pesquisas. No caso da África, é imprescindível.

Eu comprei 2 voos internos.

O primeiro, foi de Livingstone (Zambia) para Joanesburgo (África do Sul). Comprei pela South African Airways e tinha também a opção pela Britsh Airways (operado pela Kulula Airline). Comprar em empresas brasileiras, ficava sempre mais caro.

Outra coisa é que a outra opção pegar um voo saindo de Victoria Falls (Zimbabwe), que fica a 20 minutos de Livingstone. Era algo que eu já estava analisando, porém o próprio Skyscanner mostrou uma mensagem durante das minhas pesquisas: “Considere viajar a partir de Livingstone em vez Victoria Falls”. O preço da passagem em Livingstone era quase a METADE!

A segunda passagem interna, os voos da Air Namibia simplesmente não apareciam no Expedia Brasil ou no Submarino Viagens… E, no final das constas, era a Air Namibia era a opção mais barata. Quase 200 reais mais barato que comprar na South African, além de ter 2 outras opções de horários bem diferentes no voo de Cape Town para Windhoek (Namíbia).

Aqui vale uma curiosidade: na compra pela Air Nambia, primeiro você faz uma reserva (que é válida por 24h). Depois, com um link (relativamente escondido no email de reserva), você entra e então pode pagar com o cartão de crédito. Um detalhe específico da minha experiência é que não consegui pagar com Mastercard… Fez sentido para mim pois eu li que Visa funciona melhor na África como um todo.

Reservar hoteis na Viagem para África

Bom, para reservar em cidades como Cidade do Cabo, Windhoek, Livingstone, Joanesburgo etc… Nenhuma novidade: usar o velho e bom booking.com ou algum de seus concorrentes e vai dar tudo certo. Hospedagens para casal por R$ 200 a R$400 por noite.

A diferença é na hora de reservar hoteis dentro dos parques.

Primeiro que os valores são completamente fora do esquadro. Paguei entre R$ 800 e R$2000 POR NOITE!!! Tem opção de camping dentro do parque, que já é caro, apesar de custar 40% mais barato. Entretanto, se este não é seu estilo, prepare-se para a facada.

Segundo, que o processo de compra é bizarro. Apesar de ter uma página para você reservar online, por alguma razão, quase não aparece nenhum dia disponível, aí você tem que mandar e-mail.

Foram algumas trocas de email até que recebi a confirmação de disponibilidade. Depois, mandam um link de uma página esquisita para pagar com o cartão. Você paga em 2 vezes: a primeira para fazer a reserva e outra 30 ou 60 dias (depende do parque) antes do check-in.

Para ajudar, meu cartão Mastercard não passava de jeito nenhum o que rendeu mais alguns emails. Finalmente, com um cartão Visa eu consegui.

Terceiro, é que vale a pena o transtorno e o preço (assim eu espero), porque estando dentro do parque você tem a oportunidade fazer tour noturno e / ou ver o sol nascer. Estou ansioso por estas duas coisas 🙂

Sites de reserva / emails que usei:

Temporada variam nos países da África

Por diversas razões, em alguns países é melhor em um mês do ano e em outros é pior.

No meu roteiro, por exemplo, vou passar pela Namibia em que vi que maio a outubro são a melhor temporada, por ser mais seco e menos quente. Algo parecido vale para Botswana, também no meu roteiro.

Por outro lado, vou para Victoria Falls, no Zimbabwe. Também dizem que até outubro é um bom período, porém, as quedas podem estar bem secas e as paisagens bem alteradas.

Outra temporada muito importante na África é a grande migração (Great Migration), que acontece mais na região central do continente. Começa no Serengeti, na Tanzania, descendo para o sudeste. Neste caso, abril são os melhores períodos para safaris da migração.

Great Migration no Serengeti - Viagem Para África- Foto Pixabay
Great Migration no Serengeti – Viagem Para África- Foto Pixabay

Enfim, pesquise bastante, pois dependendo dos seus destinos, pode esta perdendo algo importante por conta da temporada.

Tours e Safaris na África

Para nossos Safaris, teremos algumas coisas diferentes. Primeiramente, vamos fazer a Namíbia como “self-drive”, ou seja, nós mesmos vamos dirigir pelo país.

Dentro do Parque Etosha, há um safari noturno apenas para quem dorme nos hotéis dentro do parque. Este só é feito por guias e carros locais. Dentro dos parques só se pode dirigir antes do sol se por, mas você mesmo dirige.

Depois, vou pegar um Accomodated Tour de 8 dias, que comprei o no Tour Radar por US$ 1800!!! Não é barato, porém inclui transporte confortávels, estadia em bons lugares, boa parte das refeições e dos passeios.

Um dos passeios, um safari no Parque Chobe, é opcional e cobrado a parte: US$ 50.

Aqui os sites que pesquisei:

Informações importantes:

  • Alguns tours limitam a idade, para criar grupos homogeneos em termos de idade.
  • Normalmente existe a indicação da quantidade de esforço físico no tour, em função de trekkings, por exemplo

Termos importantes na sua pesquisa:

  • Game Drive = é aquilo que conhecemos na prática como Safari. Andar de Jipe no meio da natureza, para ver os animais.
  • Overland tour – Um tour de caminhão / ônibus por estradas na África e que faz paradas para dormir, comer ou fazer alguns safaris mais específico ao longo do caminho.
  • Accomodated Tour – Parecido com o Overland Tour, mas usualmente um tour com um pouco mais de conforto em que se fica hotéis 3 estrelas algumas noites. O transporte também costuma ser melhor, no meu caso, por exemplo, é um micro ônibus com ar condicionado.
  • Great Migration (ou Wildebeest Migration) – É a migração sazonal de uma série de espécies que ocorre principalmente no Serengeti na Tanzania e na Masai Mara Reserve no Kenya. É uma das principais atrações de Safari na África.
  • Big Five – São os grandes animais da áfrica: Leão, Rinoceronte, Elefante, Bufalo e Leopardo

Acesso aos Parques

Chitas, no Parque Etosha - Viagem Para África- Foto Pixabay
Chitas, no Parque Etosha – Viagem Para África- Foto Pixabay

A primeira coisa é saber o seu foco na viagem e saber quais os principais parques da África. O mais popular deles é o Kruger Park, na África do Sul… Isso está longe de querer dizer que é o “melhor’, é apenas o mais fácil de fechar, por estar “próximo” de Joanesburgo.

Ao planejar uma viagem de Safari para a África, faça uma busca e estude os principais parques da África. Aqui uma lista rápida:

    • Chobe (Botswana)
    • Ngorongoro
    • Serengethi
    • Masai Mara, Kenya
    • Etosha National Park, Namibia
    • Selous Game Reserve, Tanzania
    • South Luangwa National Park, Zambia
    • Hwange National Park, Zimbabwe
    • Kruger National Park, South Africa
  • Okavango Delta, Botswana.

Lembre-se do que falei anteriormente: por questões de segurança, os horários de acesso ao parque são após o sol nascer e antes dele cair no horizonte. Planeje-se adequadamente! 🙂

Quanto vai custar minha viagem na África?

Por fim, viajar para a África não é barato, aliás, é das viagens mais caras que eu já fiz.

Hipopotamo Delta do Okavango, Botsuana - Viagem Para África- Foto Pixabay
Hipopotamo Delta do Okavango, Botsuana – Viagem Para África- Foto Pixabay

Ao todo, em casal, com conforto médio, uma viagem para África sairá aproximadamente R$ 25000 / pessoa, para 21 dias em 5 países. Isso inclui tudo: passagens, passeios, safaris, aluguel de carro, comida, seguro viagem, vacinas etc.

Em uma versão mais econômica, acredito que é possível fazer o mesmo roteiro por R$ 15 mil, mas cortando algumas coisas, como dormir dentro dos parques.

Ah, em tempo, cada viajante deve acumular por volta de 17 mil milhas. Já é um voo nacional de ida e volta para aproveitar o Brasil. Não rasgue dinheiro, acumule milhas 🙂

Conclusão

Viajar para a África é um sonho de muitos… Tenho falado com muita gente que quer conhecer o continente, mas realmente sabe das questões financeiras.

Há também preconceito misturado com medo. Entretanto, pesquisando bem, não encontrei preocupações o suficientes em relação a segurança e problemas de saúde. É uma questão de conhecer o lugar e se preparar para suas peculiaridades, assim como se faz mesmo dentro do Brasil.

Estou ansioso para o contato com a natureza e cultura local. Rumo ao quinto continente da minha lista e compartilharei o highlights por aqui! 🙂

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *