Um dia em Hiroshiama (e Miyajima), Japão

Hiroshima é ponto de parada mandatória àqueles que se aventuram pelo Japão. Toda sua carga histórica e dramática está hoje traduzida em uma beleza única. O epicentro da Bomba Atômica, guarda resquícios da tragédia, mas também transforma o centro da cidade em um lugar lindo de se visitar.

Parque do Memorial da Paz de Hiroshima, Japão
Eternal Flame  e A-Bomb Dome no Parque do Memorial da Paz de Hiroshima, Japão

Na estadia de um dia, acabei ficando duas noites. Vim de Himeji no dia anterior e cheguei para dormir. Acordei cedinho e aproveitei o dia todo, e no dia seguinte de manhãzinha parti para Nara!

1 – Memorial da Paz da Hiroshima

Onde a bomba “caiu” – na verdade nunca tocou o chão -, anteriormente era um bairro residencial onde viviam milhares de pessoas, e toda a região que foi destruída agora é um grande e lindo parque com diversos monumentos à paz e celebrando as vítimas da guerra e da bomba.

Um dos principais pontos é o museu que conta toda a história da bomba e clama para que não se construam e usem bombas. Paguei 50 ienes para entrar – preço simbólico – e mais 300 ienes pelo áudio guide. Provavelmente o melhor museu que já fui.

Maquete de Hiroshima antes da Bomba Atômica no Memorial da Paz de Hiroshima
Maquete de Hiroshima antes da Bomba Atômica no Memorial da Paz de Hiroshima
Maquete de Hiroshima depois da Bomba Atômica no Memorial da Paz de Hiroshima
Maquete de Hiroshima depois da Bomba Atômica no Memorial da Paz de Hiroshima

Depois, tem um museu gratuito que homenageia todos as vítimas. Você pode acessar uma ficha de cada um, e tem uma sala que é feito de milhares tijolinhos, cada um representando uma vítima.

No centro do Memorial (parque), o monumento com a “Eternal Flame” da paz, que está alinhado ao A-Bomb Dome, que são os destroços do antigo prédio da Promoção Industrial em Hiroshima. O edifício é mantido da maneira que está para preservar a história.

A-Bomb Dome, epicentro da explosão em Hiroshima, Japão
A-Bomb Dome, epicentro da explosão em Hiroshima, Japão

Ah, lá comi um risoto no restaurante italiano ao lado do “porto” que sai para Miyajima. Ótimo!

2 – Miyajima e o Itsukushima Shrine

Para chegar Miyajima, pode ir de bonde  – mais barato, mas mais demorado -, de barco de linha ou de barco turístico. E por uma questão de tempo, não tinha tempo para esperar o barco de linha, peguei o barco turístico que saía em minutos, mas custava 1.900 ienes.

Chegando lá, paguei os 300 ienes para entrar no Itsukushima Shrine que é apenas mais um templo, visto que não tem muitos detalhes sobre a história no local. O destaque fica para o imenso Torii que fica na frente deste Shrine, marco turístico da região.

Vista do Monte Misen em Miyajima, região de Hiroshima, Japão
Vista do Monte Misen em Miyajima, região de Hiroshima, Japão

Subi o monte Misen a pé, passando pelos lindos templos do caminho e depois desci de teleférico,  podia ter feito o contrário né?. O trecho do teleférico é 1.000 ienes.

Desci bem em tempo de ver o pôr do sol no Torii – com a maré cheia – isso muda toda a paisagem do local – um dos pontos altos da minha viagem ao Japão.

Um dos Toris mais importantes do Japão, em Miyajima
Um dos Toris mais importantes do Japão, em Miyajima

Para quem tiver mais tempo, pode ainda visitar:

– Museu de Arte de Hiroshima
– Castelo de Hiroshima

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *