Três dias em Kyoto (Heiankyo), Japão – A capital da Paz e Tranquilidade

Para mim, acho que Kyoto – ou Quioto, ou ainda Heianjkyo – capital da paz e tranquilidade -, foi o lugar mais interessante do Japão em que estive. É em partes onde pode-se ver a mistura do moderno com o antigo, uma cidade “grande” que mateve seu aspecto de cidade pequena – apesar de ter algum trânsito. É uma cidade intimista e confortável, que oferece de um tudo, por um preço razoável.

Entendo que três dias sejam de bom tamanho – ou dois, para os mais apressados -, ou ainda em tempo de verão com dias mais longos. Em todo meu passeio até poderia ter visitado mais coisas, se tivesse errado menos, se tivesse corrido mais, por exemplo, sai para passear sempre por volta das 10h, poderia/ deveria ter saído as 8h!!.

Bom, abaixo um resumo do que eu fiz, e se tivesse que escolher, qual seria meu ranking! Ao lado estou colocando o que fiz em cada um dos dias, com “Dia 1”, “Dia 2” e “Dia 3”. Para quem quiser mais detalhes sobre o passeio em um ou outro, basta clicar no nome do destino =o)

Os principais do roteiro em Kyoto

1 – Kinkakuji – além de ter sido meu primeiro passeio, é dos mais famosos. O templo coberto de ouro impressiona, baita cartão postal!!! (Dia 1)

Kinkakuji em Kyoto, Japão
Kinkakuji (o pavilhão de ouro) em Kyoto, Japão

2 – Kiyomizudera – Templo gigantesco e lindo, com uma vista sensacional de Kyoto! Foi talvez o templo mais movimentado que estive em Kyoto, e faz jus, é um símbolo da cidade. (Dia 2)

3 – Fushimi Inara-taisha – O lugar dito por ter 32.000 Toriis (monumento abaixo) é sensacional para um passeio e a quantidade de toriis é arrebatadora, às vezes parece estar andando em um túnel. Na descida ainda aproveitei para passar pelo templo Tofukuji e voltar por outra estação de trem, esta caminhada de 20 – 30 minutos, Fushimi Inara até a Tofukuji, valeu bem a pena. (Dia 2)

Fushimi Inara-taisha, Kyoto
Fushimi Inara-taisha, Kyoto

4 – Sanjusangen-do – Templo do início do segundo milênio que conta com 1001 esculturas da Deusa das 1000 armas. 110 metros com 1000 estátuas de 160/170cm, e uma enorme no meio. (Dia 3)

5 – Gingakuji – O templo de “prata” é um passeio também imperdível, mas eu me frustrei quando vi que de prateado não havia nada hehe, mas óbvio, tem um motivo. A caminhada por todo shrine é muito lindo, seria perfeito se tivesse visto o pôr do sol, pois também tem uma vista lista da cidade.

6 – Nijo Castle – Muito legal ir a um castelo tão importante e ver como ele se diferencia da ostentação dos castelos europeus e ainda sim é lindo. Um dos pouco lugares com áudio-guide em inglês, ponto para eles. (Dia 3)

Nijo Castle, Kyoto
Nijo Castle, Kyoto

Mais sobre Kyoto

7 – Teramachi Kyogoku (Shopping de rua) – Tive motivo para ir para lá, precisava de um tênis e posso dizer que pelo menos este item, você encontra barato por lá em lojas como ABC Mart e Step. A região é sensacional pois é alguns quarteirões com ruas em linha reta, gigantescas! Além de ter bons restaurantes, fui duas vezes em um Sushi Bar lá, excelente! (Dia 2 e 3)

8 – Heian Jingu Shrine – Está longe de estar entre os principais passeios, apenas fui lá pois ACHEI que era o Solo Sagrado, em Kyoto, e o Solo Sagrado, no Brasil, fica pertinho da minha casa. Apesar da frustração, tanto construções quanto os jardins são lindos demais… O local construído em 1895 celebra o 1.100 ano de Heiankyo, antigo nome de Kyoto (Dia 3)

10 – Ryaonji – Templo famoso por um jardim de pedras para contemplação e,  efetivamente, as pessoas sentam se ali e ficam olhando. Fiz, por conveniência, pois fica a cinco minutos de ônibus do Kinkakuji, vale muito a pena. (Dia 1)

9 – Ninnaji – Fica a cinco  minutos a pé do Ryaonji, é grande e cheio de belos templos e pagodas. Valeu a visita! (Dia 1)

11 – Kyoto Tower – Adoro vistas aéreas da cidade, do campo, da praia, mas este é, em Kyoto, um passeio dispensável. Apesar de ter uma vista legal da cidade, os pontos principais são muito pouco visíveis e o pôr do sol acontece atrás das montanhas. No (Dia 2)

O que não fiz, mas é tido como bons passeios:

Palácio Imperial de Kyoto – Nas duas vezes que passei por Kyoto, era fim de semana, e o Palácio só abre durante semana, além de necessitar reserva.
Gion – bairro das gueixas
Arashiyama – um parque de bambus gigantes e belas paisagens (UPDATE: Depois fui ver, parece que o lugar beeeeeeeeeeeeeem legal, vale pesquisar)
Toji Temple

Para ficar atento em Kyoto!

O sistema de trens é uma bagunça ao meu ver. São três tipos de passe de trem/ metrô na cidade, alêm de dois de ônibus. É bom comprar os passes diários e atentar para ver se te leva aonde você quer chegar, pois quando você entrar em uma linha de outra concessionária, seu passe diário não valerá de nada. Acaba que neste sentido, os ônibus são mais confiáveis, mas também mais demorados.

Entrada nos templos e atrações, custam de 400 a 800 ienes. Considere isso no seu orçamento de viagem!

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *