Dirigindo nos EUA – O que é diferente?

Dirigir em outros países para mim faz parte da aventura como um todo, entretanto, nem sempre fica muito em conta alugar um carro. Os Estado Unidos, por outro lado, é um lugar em que alugar um carro normalmente faz sentido, financeiramente e para aproveitar melhor o passeio.

Enfim, dirigir nos “States” tem, primeiramente, a parte quase que lúdica de estar andando em uma terra de gigantes, é muito louco- TUDO É ENORME!!!

Existem muitas vias rápidas / expressas, grandes avenidas e as famosas Highways, então é fácil dirigir 10 km achando que andou 3km. Tanto em grandes vias como em ruas de bairro, tudo é mais largo – as faixas de rodagem são mais largas, as ruas mais amplas e as estradas com várias faixas (de 3 a 5). Nas ruas de bairro, a sensação de amplitude aumentam pela falta de muros, e nas estradas, pelo total descampado nos arredores.

Rodovia e pontes no Texas, EUA
Rodovia e pontes no Texas, EUA

Outra coisa que é uma loucura, são as pontes e vias de acesso nos arredores de grandes cidades. A quantidade de saídas e pontes é assustador. Tem a ponte, da ponte, ponte… Um nível de via passando em cima da outra, até com o GPS a gente se perde pela quantidade de alternativas.

Por fim, terminando o tema gigantismo, é o tamanho dos carros. Aqui no Brasil os carros populares e pequenos são comuns e as pick-ups nem tanto. Lá é o contrário… Carros pequenos são poucos, e Dodge RAM, Suburbans, Hilux, SUVs são comuns. Quando se fala de sedãs, nada de carros pequenos, todos Civic, Accords e similares. Sem as faixas de rolagem largas, esses carros iam se apertar pelas ruas.

Uma pequena pick-up parada ao lado do meu Kia Soul em Dallas
Uma pequena pick-up parada ao lado do meu Kia Soul em Dallas

Agora, pelo lado prático, o que é diferente de dirigir nos EUA:

  • Faixa da direita normalmente pode virar mesmo no farol fechado. Se não puder, vai estar escrito que não pode.
  • É muito, muito comum faixas exclusivas para virar a direita ou a esquerda ou para seguir em frente. É preciso prestar atenção.
  • No posto, você é o frentista – ou seja, você é quem abastece, pagando na bomba ou na loja de conveniência
  • As pessoas não ficam buzinando por qualquer motivo, então contenha-se
  • Existem estradas para assinantes. Ou seja, é um pedágio mensal que só pode rodar naquela via quem paga. Cuidado!
  • Existem vias expressas (cortes de caminhos) com pedágios, cuidado com seu GPS
  • Ah, em tempo, a sua carteira do Brasil vale para alugar carro, então reserve antecipadamente e dirija pelas ruas dos EUA!!

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *