Curso Técnico em Portugal – Quanto Custa? Como Funciona?

Para quem que estudar na “terrinha”, existem 3 tipos de curso técnicos em Portugal, nomeadamente o Ensino Técnico, o Curso de Especialização Tecnológica (CET) e o Curso Técnico Superior Profissional (CTeSP).

Todos eles visam preparar os estudantes para ingressarem no mercado de trabalho português e a sua principal vantagem é que os alunos mesclam a aula teórica com estágios curriculares. Além disso, a depender da modalidade, o aluno que desejar ingressar na graduação irá concorrer em concurso específico.

Como funciona o Curso Técnico em Portugal?

A categoria de Ensino Técnico é realizada nos 3 últimos anos do ensino secundário – equivalente ao ensino médio. Os estudantes devem escolher entre os cursos científico-humanístico ou uma das modalidades profissionais (aprendizagem, educação e formação, profissionais e tecnológicos). Para se candidatar ao Ensino Técnico é preciso ter concluído o ensino fundamental.

Guia de Portugal

O Curso de Especialização Tecnológica (CET) são cursos de formação pós-secundária/ensino médio não superior, com a duração aproximada de um ano e que preparam o aluno para uma especialização científica ou tecnológica numa determinada área de formação. Para concorrer a uma vaga, é preciso validar a conclusão do ensino médio em Portugal, mas é importante verificar as exigências com cada instituição, pois os processos não são unificados. Geralmente, esses cursos não tem provas de ingressos e basta realizar a inscrição para iniciar os estudos.

Já o Curso Técnico Superior Profissional (CTeSP) são cursos superiores com duração de 2 anos que conferem um Diploma de Técnico Superior Profissional. Para ingressar é preciso ter mais de 23 anos e alguns politécnicos aceitam a nota do ENEM no processo de inscrição.

Quais os principais tipos de Curso Técnico? Em quais áreas de trabalho?

Em Portugal existe uma ampla oferta de cursos técnicos, desde mecânica, marketing, hotelaria até Biologia Molecular. As instituições levam em consideração as necessidades de formação profissional, designadamente na região em que estão inseridas. Inclusive, a depender da modalidade do curso existe a opção de fazer um semestre com estágio garantido em contexto real de trabalho.

Em Portugal não existe a categoria de Tecnólogo, porém o Curso Técnico Superior Profissional (CTeSP) pode, posteriormente, ser reconhecido no Brasil com grau de Tecnólogo.

Vantagens de fazer um Curso Técnico em Portugal

Intercâmbio em Lisboa, Portugal
Intercâmbio em Lisboa, Portugal – Foto Miguel A. Ferreira, Pexels
  • Mercado de trabalho: normalmente os estudantes têm uma rápida inserção no mercado. Inclusive, algumas empresas têm convênio com instituições de ensino.
  • Custo baixo: os cursos técnicos apresentam um valor mais acessível se comparado com a graduação.
  • Curta duração: os cursos técnicos variam de 1 a 2 anos.

Quanto custa um Curso Técnico em Portugal?

Os valores podem variar de acordo com o curso e a instituição de ensino. Além disso, a maioria das escolas cobram um valor diferente para alunos internacionais. Na média, os estudantes nacionais pagam entre 650 a 1100 euros, enquanto alunos internacionais (ou seja, brasileiros também) pagam entre 1.300 a 2.500 euros.

Quais as principais escolas? 

A maior oferta de cursos técnicos está em Lisboa, capital de Portugal. Entretanto, existem vários politécnicos espalhados pelo país, por isso, listamos os principais:

  • Instituto Superior de Educação e Ciências
  • Instituto Politécnico de Lusofonia
  • Instituto Superior Novas Profissões
  • Egas Moniz
  • Politécnico do Porto
  • Instituto Politécnico de Gestão e Tecnologia
  • Instituto Superior de Administração e Gestão
  • Instituto Politécnico da Maia
  • Instituto Politécnico do Cávado e do Ave
  • Instituto Politécnico de Bragança
  • Instituto Politécnico de Viana do Castelo

Visto para Curso Técnico em Portugal

Caso opte pelo Curso de Especialização Tecnológica (CET) você terá direito ao Visto de Estada Temporária para estudo, que é destinado aos cursos com duração inferior a 12 meses. Já o estudante do Curso Técnico Superior Profissional (CTeSP), tem direito a um Visto de Residência para estudo, pois o curso tem duração maior que 12 meses. 

Como funciona o Visto de Curso Técnico?

A solicitação de vistos não é mais realizada pelos Consulados e sim pela VFS Global. Antes da pandemia, o processo era feito presencialmente depois de agendamento prévio. Contudo, atualmente a submissão do pedido de visto é feito por correios. Segue a lista dos documentos:

  • Formulário de pedido de visto nacional
  • 2 Fotografias iguais, em tamanho 3×4
  • Passaporte ou outro documento de viagem, válido por mais de três meses após a data prevista para o regresso
  • Fotocópia do passaporte (dados biográficos e páginas com carimbo).
  • Seguro de viagem válido, que permita cobrir as despesas necessárias por razões médicas, incluindo assistência médica urgente e eventual repatriamento em caso de morte ou PB4 emitido pelo Ministério da Saúde do Brasil. 
  • Certificado de registro criminal emitido pela Polícia Federal do Brasil nos últimos 30 dias. Em caso de estrangeiros, emitido pela autoridade competente do país de nacionalidade do requerente ou do país em que resida há mais de um ano (não aplicável a menores de 16 anos), com Apostila de Haia. 
  • Requerimento para consulta do registo criminal português pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (não aplicável a menores de 16 anos)
  • Cópia de título de transporte de regresso 
  • Declaração comprovativa de meios de subsistência e alojamento ou termo de responsabilidade.
  • Documento emitido por estabelecimento de ensino ou de formação profissional que comprove a admissão do requerente a curso de duração inferior a um ano.

Posso trabalhar com o Curso Técnico? O Visto Permite?

No caso do Curso de Especialização Tecnológica (CET) que dá direito ao Visto de Estada Temporária para estudo, não é possível trabalhar. Mas, após o fim do curso e da validade do visto, você pode realizar uma manifestação de interesse para alterar o tipo de visto e assim trabalhar regularmente no país.

Já os estudantes do Curso Técnico Superior Profissional (CTeSP) podem trabalhar, desde que os horários não interfiram na sua grade de estudos. 

Custo de vida em Portugal

Coimbra, Portugal
Coimbra, Portugal – Foto pexel, carlos machado

Obviamente, os seus gastos mensais vão bastante em função da cidade onde for fazer seu intercâmbio. Enquanto estudar nas grandes cidades como Lisboa, Porto ou Coimbra pode ser um pouco mais caro, escolher Évora, Beja ou até mesmo Braga, pode ser um intercâmbio mais barato!

  • Hospedagem em uma quitinete (que em Portugal chamam de T 0 ) ou então compartilhando a casa com outros intercambistas pode ficar e 200 a 600 euros. Como sempre isso vai depender da cidade, da localização e do padrão do imóvel
  • Água, Luz, telefone, internet etc. – ~100 euros/mês
  • Mercado ~150 euros/mês
  • Considere + 100 euros/mês para outros custos como transporte, lazer e alguma exceção

Total de 700 a 1,000 euros por mês é o custo de vida para um estudante morando em Portugal!

Conclusão

Fazer um curso técnico em Portugal é uma oportunidade para quem busca uma requalificação no mercado de trabalho e deseja construir uma rede de network. Uma boa notícia para os brasileiros é que as profissões que não requerem diploma universitário têm demanda constante e costumam empregar imigrantes.

Outro benefício é que o estudante terá uma formação técnica de alto nível, que o capacitará para o mercado de trabalho em curto tempo. Além disso, caso o aluno deseje prosseguir com uma licenciatura, poderá ter acesso ao ensino superior e equivalências em unidades curriculares.

Interessado em intercâmbio de Tecnólogo ou graduação em Portugal? Preencha o formulário abaixo e fale com agências especialistas em intercâmbio em Portugal!