Costa Rica, dia 5 – Monteverde e Costa do Pacífico

Monteverde era uma dúvida para mim e no final decidi ir por conta das pessoas que fui conhecendo nos hostels. Todos falaram bem então resolvi confirmar minha passagem por lá: rápida e acertadíssima.

Cheguei na noite anterior (quase 0h), mas já com tour reservado para Canopy Extremo as 7:30. São dezenas (quiçá centenas) de parques de arborismo (tirolesa e afins) pela Costa Rica. Em Monteverde ficam os mais famosos deles, dentre os quais está este que escolhi principalmente pelo que li na internet sobre o tal do ”Tarzan Swing”.

Tarzan swing: Arborismo radical em Monteverde, Costa Rica
Tarzan swing: Arborismo radical em Monteverde, Costa Rica

São 11 tirolesas, desde 40 metros de cumprimento até uma com 1 km!!!!! Além de uma altura de mais de 100 metors. O negócio é legal demais.

Eles começam por duas ou três tirolesas menores para você perder o medo e pegar o jeito e termina com a tirolesa de 1km. No meio disso tudo, tem o tal do Tarzan Swing, que simula o salto do Tarzan em um cipó.

Tirolesa gigante em Monteverde, Costa Rica
Tirolesa gigante em Monteverde, Costa Rica

Este tour custou US$ 50 e terminou por volta das 11h quando a van saiu de volta para o centro da cidade. Para os mais animados, tem o Bungee Jump (120 metros de altura, US$ 60) e o Swing Extremo que é muito maior. Enifm, já me satisfiz com o tour ”básico”.

A priori, eu ficaria duas noites em Monteverde e seguiria para Manuel Antônio no dia seguinte, mas como decidi isso depois, não tinha mais cama no hostel. Juntou isso com o fato de que não achei os outros tours muito interessantes, então reservei quarto em Manuel Antônio e comecei a já planejada descida pela costa do pacífico na luz do dia. Sim, eu amanheci sem saber onde ia dormir, nem a cidade, muito menos o hostel…. só resolvi por volta das 14h.

A estrada para chegar em Monteverde, vindo de Tamarindo, foi sofrível (1h em estrada de terra morro acima) em compensação a estrada para Manuel Antônio era ótima e as vistas sensacionais, parei várias vez para tirar fotos das montanhas e da baía de Nigoya.

Arco-iris na estrada de Monteverde-Quepos, Costa Rica
Arco-iris na estrada de Monteverde-Quepos, Costa Rica

Depois foi um tour nas praias, uma mais bonita que a outra: La Pita, Caldera, Jacó entre tanto outros mirantes que não sei o nome até chegar ao ponto do meu por do sol, Playa Hermosa, realmente linda! Pedi um smoothie de manga e contemplei até escurecer…

Por do sol em Playa Hermosa - Jacó, Costa Rica
Por do sol em Playa Hermosa – Jacó, Costa Rica

Em mais uma hora cheguei ao hostel Manuel Antônio. Tive duas infelizes surpresas: o parque não abre às segundas-feiras e o hostel não tem água quente… droga, odeio banho frio =o/

Só restou planejar a  segunda-feira, já que o parque ficou para terça.

Casal e o Por do sol em Playa Hermosa - Jacó, Costa Rica
Casal e o Por do sol em Playa Hermosa – Jacó, Costa Rica

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *