Japão – Um outro patamar de sociedade…

Pois é, outro dia estava conversando com um casal de amigos sobre como o Brasil ainda é um País em desenvolvimento,  cheio de mazelas e com um povo que tem muito a aprender em como viver em uma comunidade sadia e respeitosa, governada pela confiança e o respeito. Nos pegamos comparando o Brasil, com Europa e com Japão, destino recente para mim – pouco mais de seis meses – e para eles, que acabavam de voltar, há algumas semanas.

Para exemplificar, um fato emblemático, na cidade de Miyajima – próximo a Hiroshima

Um casal de amigos entrou em uma loja de souvenirs, escolheram algumas coisas e foram pagar. Junto aos itens, já entregaram o pagamento, 1000 ienes (aprox. 10 dólares na época). Por hábito, os japoneses pegam o dinheiro após fechar o valor, mas desta vez, por distração o caixa pegou antes, e no final das contas, esqueceu-se que havia recebido a quantia e cobrou novamente… E começou a ”discussão” – um sem entender inglês, outro sem entender japonês.

– Eu já entreguei 1000 ienes para você…
– Sakuro nagano, watashi, rubakaridê – dizia o japonês fazendo o tradicional sinal de ”não” cruzando os antebraços
– Feche o caixa, que você verá que tem 1000 ienes sobrando. – Tentou explicar inutilmente o casal, pois o japonês não entendia.

Papo foi, papo voltou e não se entenderam. O casal preferiu deixar os itens, e assumir o prejuízo de 1000 ienes.

Horas depois, passeando novamente pelas lojas, eis que surge o japonês, aquele caixa que por acaso se confundiu… Ele dizia, totalmente esbaforido:

– Sorê! Sorê! – Do inglês, ”Sorry” hehe

Estendeu ao casal os itens que haviam separado para comprar, o troco e curvou-se em sinal de respeito e pedido de desculpas. Voltou, ao final, certamente envergonhado à sua loja, por ter julgado mal alguém, e principalmente, por possivelmente ter se apropriado de algo que não lhe pertencia…. Quase igual ao que aconteceria no Brasil se o mesmo equívoco tivesse acontecido… Certo?

Homero Carmona

Blogueiro desde 2008, ano em que fez seu primeiro intercâmbio e começou a viajar por aí! Atualmente coleciona mais de 40 países no seu passaporte e sonha conhecer todos os 200 e poucos por este mudão a fora... Seu hobby é fazer com que mais gente viaje, todo dia, cada dia mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *